Como o PIS atua sobre o faturamento?

Por Redação Azulis

Quem tem um empreendimento precisa estar por dentro das tributações que ocorrem mensalmente sobre os rendimentos de cada empresa. Ao compreender como os tributos funcionam, como o PIS sobre o faturamento, fica mais fácil se organizar e ter maior previsibilidade sobre o funcionamento do seu negócio. 

Para entender melhor o que é esse tributo e como é cobrado, leia os próximos parágrafos e saiba mais sobre o assunto.

O que é PIS/Cofins?

Junto à abertura de uma empresa vem diversas siglas referentes às burocracias que envolvem um negócio. Algumas delas são relacionadas aos tributos que devem ser pagos para que o funcionamento legal da empresa ocorra. Entre eles, estão o PIS e o COFINS que, apesar de sempre serem cobrados juntos, são tributos diferentes. 

O PIS (Programa de Integração Social) existe para que haja um fundo de amparo ao trabalhador. Para isso, é cobrado das empresas um determinado valor sobre o seu faturamento, que irá constituir o fundo e garantir ao trabalhador o direito a Abono Salarial e Seguro-Desemprego. 

Já o COFINS (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social) é cobrado das empresas, também referente a uma parte de seu faturamento, com o objetivo de criar fundos de previdência, como a aposentadoria e outros benefícios.

Como funciona o PIS sobre o faturamento?

O PIS é uma contribuição obrigatória com objetivos sociais. Toda empresa deve pagar esse tributo, mas cada uma tem uma alíquota diferente, com base no tipo de negócio e o modelo de tributação escolhido: Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido.

  • Simples Nacional: podem optar pelo Simples Nacional, empresas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões. Além do PIS sobre o faturamento, nesse modelo também há outros tributos, como: IRPJ, IPI, COFINS, CSLL, CPP, ICMS e ISS.

Todos esses tributos são recolhidos mensalmente em uma única guia, o chamado DAS. Nesse caso, a alíquota correspondente para o cálculo engloba todos eles, inclusive o PIS.

 

  • Lucro Real: nesse os cálculos são feitos de acordo com o que a empresa de fato lucrou, podendo ser liberada do recolhimento dos tributos se houver prejuízo em algum período. 

 

Podem escolher o tributo por Lucro Real, empresas com faturamento acima de R$ 78 milhões. Em alguns casos, esse modelo é obrigatório, como bancos, sociedades de crédito e corretoras de títulos.

  • Lucro Presumido: para escolher esse modelo, a empresa deve faturar no máximo R$ 78 milhões. Os cálculos são baseados em margem de lucro pré-fixada, por isso o nome “presumido”, pois mesmo que o lucro da empresa seja maior ou menor que a margem, as porcentagens de recolhimento serão as mesmas.

Como acontece o cálculo sobre o faturamento?

Vimos no tópico anterior que o modelo de tributação de cada empresa influencia diretamente na forma em que o PIS sobre o faturamento será recolhido. Veja, agora, como calcular a alíquota a ser cobrada:

Simples Nacional

Todos os tributos são recolhidos em uma única guia, o DAS, a partir de alíquota de acordo com o tipo de empresa e seu faturamento. Essas alíquotas são divididas em cinco anexos:

  • Anexo I: Empresas de comércio

Receita Bruta Total

Alíquota

Valor a ser descontado

Até R$ 180.000,00

4%

R$ 0

De 180.000,01 a 360.000,00

7,3%

R$ 5.940,00

De 360.000,01 a 720.000,00

9,5%

R$ 13.860,00

De 720.000,01 a 1.800.000,00

10,7%

R$ 22.500,00

De 1.800.000,01 a 3.600.000,00

14,3%

R$ 87.300,00

De 3.600.000,01 a 4.800.000,00

19%

R$ 378.000,00

  • Anexo II: Fábricas e indústrias

Receita Bruta Total

Alíquota

Valor a ser descontado

Até R$ 180.000,00

4,5%

R$ 0

De 180.000,01 a 360.000,00

7,8%

R$ 5.940,00

De 360.000,01 a 720.000,00

10%

R$ 13.860,00

De 720.000,01 a 1.800.000,00

11,2%

R$ 22.500,00

De 1.800.000,01 a 3.600.000,00

14,7%

R$ 85.500,00

De 3.600.000,01 a 4.800.000,00

30%

R$ 720.000,00

  • Anexo III: Serviços (instalação, reparos, manutenção, agências de viagens, escritórios de contabilidade, academias, laboratórios, empresas de medicina e odontologia).

Receita Bruta Total

Alíquota

Valor a ser descontado

Até R$ 180.000,00

6%

R$ 0

De 180.000,01 a 360.000,00

11,2%

R$ 9.360,00

De 360.000,01 a 720.000,00

13,5%

R$ 17.640,00

De 720.000,01 a 1.800.000,00

16%

R$ 35.640,00

De 1.800.000,01 a 3.600.000,00

21%

R$ 125.640,00

De 3.600.000,01 a 4.800.000,00

33%

R$ 648.000,00

  • Anexo IV: Serviços de limpeza, vigilância, obras, construção de imóveis e serviços advocatícios.

Receita Bruta Total

Alíquota

Valor a ser descontado

Até R$ 180.000,00

4,5%

R$ 0

De 180.000,01 a 360.000,00

9%

R$ 8.100,00

De 360.000,01 a 720.000,00

10,2%

R$ 12.420,00

De 720.000,01 a 1.800.000,00

14%

R$ 39.780,00

De 1.800.000,01 a 3.600.000,00

22%

R$ 183.780,00

De 3.600.000,01 a 4.800.000,00

33%

R$ 828.000,00

  • Anexo V: Serviços de auditoria, jornalismo, publicidade, tecnologia, engenharia e outros.

Receita Bruta Total

Alíquota

Valor a ser descontado

Até R$ 180.000,00

15,5%

R$ 0

De 180.000,01 a 360.000,00

18%

R$ 4.500,00

De 360.000,01 a 720.000,00

19,5%

R$ 9.900,00

De 720.000,01 a 1.800.000,00

20,5%

R$ 17.100,00

De 1.800.000,01 a 3.600.000,00

23%

R$ 62.100,00

De 3.600.000,01 a 4.800.000,00

30,5%

R$ 540.000,00

Lucro Presumido

Para cada tipo de empresa, existe uma margem de lucro presumida e, com base nessas porcentagens, os impostos devidos serão cobrados. Para o setor de serviços, a margem é de 32% e, para o de comércio e indústria, 8%. Essa opção é vantajosa para empresas que lucram acima da margem, pois seus impostos serão pagos equivalentes ao valor pré-fixado.

Vamos considerar apenas os valores de recolhimento do PIS, que nesse artigo é o nosso foco. Nesse cenário, a alíquota do PIS sobre o faturamento é de 0,65%. Portanto, considerando que a empresa teve rendimento bruto de R$ 100 mil, por exemplo, o cálculo deve ser feito:

100.000 x 0,65% = 650

Portanto, R$ 650,00 é o valor que será recolhido de PIS sobre o faturamento.

Lucro Real: 

Nesse, o cálculo é um pouco mais complexo. Iremos considerar o mesmo valor de rendimento bruto acima, R$ 100 mil, como exemplo.

Primeiro, é preciso calcular todos os gastos passíveis de abatimento, como aluguel e insumos. Consideraremos que os gastos somam R$ 25 mil.

Agora, é preciso calcular o PIS sobre o faturamento, que no caso do Lucro Real é de 1,65%:

100.000 x 1,65% = 1.650

Depois, calcule o PIS sobre as despesas que podem ser abatidas:

25.000 x 1,65% = 412,50

Por último, calcule a diferença entre o PIS sobre faturamento e o PIS sobre as despesas:

R$ 1.650 – R$ 412,50 = R$ 1.237,50. Esse será o valor pago ao PIS no modelo de Lucro Real.

Achou complicado? Então veja mais conteúdos sobre PIS e tudo que sua empresa precisa saber para estar em dia com os tributos, acessando nosso blog ‘Vida de Dono’.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!