Crédito com juro zero do Sebrae – Como funciona?

Por Redação Azulis

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em parceria com a Desenvolve SP, a agência de fomento do Estado de São Paulo, criou uma linha de crédito de até R$ 20 mil para o empreendedor. Saiba como funciona

O Sebrae oferece empréstimos com juro zero para MEIs. Saiba quem tem direito e como ter acesso a esse benefício.

juro-zero-sebrae

Os empreendedores muitas vezes precisam buscar crédito no mercado para financiarem suas operações e conseguirem alavancar o crescimento da empresa.

Essa dificuldade é ainda maior para os Microempreendedores Individuais (MEI). Por se tratar de negócios menores, eles têm menos acesso a crédito.

Para ajudar a contornar esse problema e impulsionar a criação e expansão dos negócios em São Paulo, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-SP) fez uma parceria com o Governo do Estado de São Paulo, por meio da agência Desenvolve SP, e juntos desenvolveram o programa Juro Zero Empreendedor.

Quer escolher o empréstimo com as taxas mais baixas? Confira nossas dicas

Baixe o guia que preparamos para você!

Acesse seu E-mail para baixar o conteúdo.

Juro zero Sebrae: como funciona?

Participando do programa Juro zero Empreendedor, o Microempreendedor Individual pode solicitar um crédito que varia de R$ 1.000 a R$ 20.000 reais. O empréstimo pode ser pago em até 36 meses, já incluindo a possibilidade de conseguir 6 meses de carência para começar a pagar.

A única taxa que o MEI precisará pagar é o Fundo de Aval Paulista (FDA). O Fundo de Aval é o mecanismo que garante a isenção de juros, principalmente no caso de algum MEI não honrar sua dívida com o Sebrae.

Apesar de ter que pagar a taxa do Fundo de Aval, esse valor pode ser diluído nas parcelas, diminuindo seu impacto. Por exemplo: contratando R$ 20.000 reais para pagar em 36 meses, o Fundo de Aval terá um custo de R$ 720 reais.

Ou seja, as parcelas desse empréstimo que custariam R$ 555,55 reais, passariam a custar R$ 575,55 reais. Um impacto de R$ 20 reais a mais por mês.

Quem pode participar do juro zero Sebrae?

O programa Juro Zero Empreendedor, também conhecido como Juro Zero Sebrae, é especificamente voltado para Microempreendedores Individuais com faturamento anual de até R$ 81.000 reais.

Além disso, como o programa é oferecido pelo Sebrae-SP em conjunto com a Desenvolve SP, apenas Microempreendedores Individuais do estado de São Paulo estão elegíveis às vantagens do crédito com juro zero.

O que pode ser financiado com o juro zero?

Uma das dúvidas que mais surge quando se fala do Juro Zero Empreendedor é sobre as possíveis finalidades de uso do crédito adquirido pelo Microempreendedor Individual.

De acordo com o site do programa, o crédito pode ser usado para produtos e serviços necessários para o exercício das atividades do MEI. Isso inclui equipamentos, veículos, ferramentas e até mesmo capital de giro.

Condições para participar do crédito com juro zero

Para poder pleitear o crédito com juro zero, existem algumas condições que precisam ser preenchidas.

Como já falamos aqui, o programa está disponível apenas para MEIs com faturamento de até R$ 81.000 reais, e que estejam no estado de São Paulo. MEIs de outros estados não podem participar do programa juro zero.

Para ter acesso ao crédito e participar do programa, o MEI precisa apresentar um plano de negócios que deve indicar qual será o uso do crédito. Isso vale tanto para financiamentos de equipamentos como para capital de giro.

Além disso, é obrigatório concluir a capacitação no programa Super MEI do Sebrae-SP. A qualificação é gratuita e aborda, entre outras coisas, todas as informações necessárias para se cadastrar no programa juro zero e como elaborar o plano de negócios exigido.

Outra condição importante é que o empreendedor não pode estar com o cadastro negativado em órgãos de proteção ao crédito, como o SPC e SERASA. Como o programa não cobra juros, aceitar empresários negativos representa um risco grande de inadimplência, que poderia afetar todo o programa e os empreendedores que dependem dele. 

Como solicitar o juro zero?

Como colocamos antes, para iniciar a solicitação é necessário ter concluído o programa Super MEI. Depois disso, é preciso acessar a página do programa Juro Zero Empreendedor.

Para fazer o cadastro na página, será necessário informar os seus dados pessoais, o plano de negócios e os objetivos do financiamento, além de anexar alguns documentos no cadastro, conforme abaixo:

Para o MEI: cópia simples do cartão CNPJ, certificado da condição de MEI, Certidão Negativa de Débitos com a União (CND), Certidão de Regularidade no FGTS (CRF) válida, emitida pela Caixa Econômica Federal (CEF) e última declaração anual (DANS SIMEI), se houver;

Para pessoa física: cópia RG, CPF e comprovante de endereço (conta de água/luz/telefone ou boletos bancários) de até 90 dias. Se for casado, acrescentar cópia Certidão de Casamento, RG e CPF do cônjuge. 

Com a solicitação realizada, o Sebrae-SP vai avaliar os documentos e a situação da empresa, para definir se o crédito será ou não aprovado. Se for aprovado, a Desenvolve SP deposita o crédito em uma parcela única, direto na contracorrente indicada no momento do cadastro.

Para quitar as parcelas, a própria instituição envia o boleto bancário mensalmente. Atente-se aos prazos de vencimento: em caso de atraso no pagamento do boleto, são cobrados juros de 12% ao ano, além de uma multa de 2% sobre o valor da parcela.

Para quitar as parcelas, a própria instituição envia o boleto bancário mensalmente. Atente-se aos prazos de vencimento: em caso de atraso no pagamento do boleto, são cobrados juros de 12% ao ano, além de uma multa de 2% sobre o valor da parcela. 

Gostou desse conteúdo? Nosso foco na Azulis é ajudar os empreendedores de forma rápida e prática. Vem conferir as outras dicas no nosso site!

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!