Regime de Caixa: O que é e qual a importância para o negócio

Por Redação Azulis

Entenda o conceito e quando optar pelo Regime de Caixa

A gestão financeira de uma empresa é uma questão extremamente importante para o sucesso dessa organização. Um ponto de atenção é quanto ao regime contábil a ser adotado. Algumas empresas podem optar pelo Regime de Caixa e Regime de Competência.

Neste artigo, abordaremos informações relacionadas ao Regime de Caixa. 

O que é Regime de Caixa

O Regime de Caixa é o regime contábil pelo qual os ganhos e despesas são contabilizados quando entram ou saem de caixa e não quando as compras são efetuadas ou quando os serviços são realizados.

Assim, o empreendedor pagará pelos tributos apenas quando o cliente fizer o pagamento, e não quando a nota fiscal for emitida. Da mesma forma, as despesas serão lançadas somente quando forem pagas pela empresa.

Qual a importância do Regime de Caixa

O Regime de Caixa é importante para que as empresas tenham uma maior folga para o pagamento de tributos quando realizarem vendas a prazo, sem necessitar desembolsar o valor integral e não ter recebido o pagamento. Ou seja, há, nesse caso, um menor comprometimento do caixa da empresa. 

Quem pode optar pelo Regime de Caixa

Podem optar por esse regime micro e pequenas empresas e empresas adeptas ao Lucro Presumido e ao Simples Nacional.

Quando vale a pena optar pelo Regime de Caixa

As empresas mais favorecidas são as que trabalham com vendas a prazo e prestação de serviços. Assim, a organização será tributada a cada parcela paga pelo cliente, após o pagamento realizado, diluindo os valores. 

Já no caso das prestadoras de serviço, o benefício é o mesmo: o valor do tributo incidirá quando o cliente pagar pelo serviço prestado, seja por meio de cartão de crédito ou cheque pré-datado, por exemplo.

Vale lembrar que é importante manter um fluxo de caixa para registrar os movimentos da empresa, ou seja, o que entra e o que sai, e quando entra e quando sai, para evitar de deixar de pagar um tributo ou mesmo pagá-lo duas vezes. 

O Regime de Caixa não é válido somente para vendas, mas também para compras. Ou seja, a empresa só contabilizará o gasto quando pagar por ele.

Exemplo: uma compra foi realizada com um fornecedor em duas parcelas. O gasto não será considerado na hora da compra, mas no pagamento de cada parcela. 

O que levar em conta ao optar pelo Regime de Caixa

O Regime de Caixa é uma opção mais simples do que sua outra opção: o Regime de Competência. É ideal para pequenas empresas.

As maiores podem não se beneficiar desse regime por precisarem enviar relatórios para terceiros e terem que contabilizar todos os gastos e recebimentos de uma só vez, independentemente se eles serão pagos ou não.

Vale lembrar que somente pequenas empresas podem optar por um ou outro. Médias e grandes precisam obrigatoriamente utilizar o Regime de Competência.

Diferenças entre Regime de Caixa e Regime de Competência

De forma simplificada, a principal diferença entre o Regime de Caixa e o Regime de Competência é a forma de registro dos lançamentos. No Regime de Caixa, a entrada e saída é registrada no momento que a despesa ou receita foi efetivamente paga e o lançamento é feito nessa ocasião.

Já no Regime de Competência, a entrada ou saída é registrada na data que o evento ocorreu, mesmo que o pagamento seja feito em uma data posterior.

Nesse caso, o que importa é o fato gerador, e não o pagamento.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!