Empréstimo para pagar dívidas: saiba quando buscar essa modalidade

Por Redação Azulis

Está com débitos que não consegue quitar? Conheça o empréstimo para pagar dívidas, saiba como funciona e avalie quando contratar.

Empréstimo para pagar dívidas

O empréstimo para pagar dívidas costuma ser utilizado para quitar um débito anterior por meio de uma instituição financeira diferente. Nessa modalidade, o tomador busca taxas mais atrativas, de modo a viabilizar seu projeto de encerrar o endividamento atual, que não raro compromete a sua capacidade financeira.

Considerando que todo empréstimo, financiamento ou cartão de crédito opera com taxas e custos próprios, em alguns casos, é vantajoso seguir essa estratégia. Contudo, os mesmos cuidados que se aplicam ao crédito contratado para investir ou comprar um bem se aplicam quando o objetivo é saldar uma dívida.

Na verdade, vale até observar medidas adicionais de precaução, já que, na prática, quem toma crédito por esse motivo, apenas troca uma dívida por outra. Neste artigo, vamos esclarecer quando essa estratégia vale a pena, quando deve ser evitada e como fazer para não se apertar na hora de pagar as prestações. Boa leitura!

O que é um empréstimo para pagar dívidas?

Empréstimo para pagar dívidas é, de certa forma, um artifício financeiro que devedores em geral podem usar para se verem livres de um ou mais débitos. Assim, eles tomam dinheiro emprestado de bancos ou fintechs distintas daquelas com as quais já possuem uma dívida em aberto.

Nesse caso, vale lembrar que um empréstimo que ainda está sendo pago pode contar negativamente na análise de crédito no momento da solicitação de um outro. Em algumas instituições financeiras, esse fator tem peso quase equivalente a ter o nome negativado.

Logo, é preciso ter planejamento na hora de escolher a empresa para solicitar esse dinheiro extra. Um empréstimo para pagar dívidas deve estar entre as últimas opções no sentido de honrar débitos passados, dependendo de quais sejam.

A explicação para isso é simples: ao trocar uma dívida por outra, você estará prolongando o tempo em que permanecerá atrelado a uma prestação. No entanto, existem casos em que tomar crédito para honrar compromissos anteriores pode se mostrar uma estratégia válida.

Vamos ver quais são eles no próximo tópico.

Como usar um empréstimo para pagar dívidas

Já que tomar dinheiro emprestado para pagar dívidas consiste em apenas trocar uma prestação por outra, é preciso avaliar bem quando e como usar essa estratégia. O primeiro caso que podemos destacar é o mais comum: o empréstimo a juros e Custo Efetivo Total (CET) menores para pagar um outro mais caro.

Sendo assim, e dependendo da quantidade de parcelas a serem pagas, pode ser realmente vantajoso tomar um empréstimo para liquidar o saldo devedor em outro banco. Em certos casos, até mesmo uma quantidade maior de parcelas se revela interessante, desde que o valor de cada uma seja mais baixo. Por um lado, você estará aumentando a quantidade de parcelas a pagar. Por outro, terá seu orçamento mensal aliviado pela sua redução por mês. Dessa forma, na hora de contratar, a atenção ao CET é ainda mais importante.

Afinal, tomar crédito a taxas maiores do que a dívida em aberto apenas aumentará seu endividamento. Vale também adotar as mesmas precauções de quando busca por um empréstimo ou financiamento. Isto é, avaliar a credibilidade do banco ou fintech, conferir se o site é seguro e tem certificados de segurança e se possui boa reputação no Reclame Aqui.

Ainda, continua valendo o planejamento financeiro antes de fazer a sua proposta. Ninguém troca uma dívida por outra se não houver um benefício real envolvido, certo? Para isso, é indispensável conhecer primeiro sua própria capacidade de pagamento e montar um orçamento pessoal que dê conta dos compromissos assumidos.

Quando essa operação vale a pena?

Outra estratégia que pode ser válida é usar o empréstimo para quitar o pagamento de um imóvel ou carro. Em primeiro lugar porque, geralmente, o CET no financiamento desses bens é maior que o de um empréstimo.

Então, pode haver uma redução nas taxas quando se troca uma dívida por outra. Além disso, imóveis e carros podem ser apresentados como garantia e, dessa forma, dar acesso a margens de crédito maiores. É uma opção a considerar para quem pretende investir em um negócio, por exemplo.

De qualquer forma, se essa for a intenção, deve-se redobrar os cuidados. Isso porque veículos, casas e apartamentos apresentados como garantia podem ser tomados pelo banco em caso de inadimplência.

Imagine, por exemplo, perder um veículo usado para trabalhar ou a casa cujo aluguel compõe parte de seus rendimentos?

Prós e contras do empréstimo para pagar dívidas

Como vimos até agora, o empréstimo para pagar dívidas deve ser utilizado com bastante cautela. Embora seja vantajoso em alguns casos, em outros pode representar apenas o prolongamento de uma dívida.

Note que todos os bancos e fintechs, em seus sites, só terão elogios a fazer de suas linhas de crédito. Cabe a você se preparar para isso, considerando a sua capacidade de pagamento antes de fazer uma solicitação.

Por outro lado, livrar-se de uma dívida que consome muito do seu orçamento mensal pode significar um alívio e tanto. Dessa forma, o empréstimo para pagar dívidas pode ser uma ótima solução, desde que você não se esqueça de contratá-lo a taxas menores que o anterior.

E na hora de comparar e simular empréstimos, conte com a Azulis para encontrar o empréstimo ideal. Conheça agora as opções com as melhores taxas! Continue acompanhando o Vida de Dono, o portal de conteúdo em que você, empreendedor, é a estrela!

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!