9 dicas para lidar com a crise e vender mais

Por Fernanda Santos

A crise econômica chegou há alguns anos no País derrubando as vendas e o faturamento de muitos empreendedores

Nossas dicas vão ajudar você a reduzir alguns custos, repensar suas estratégias e atrair mais clientes para voltar a crescer

dicas-para-vender-mais-na-crise

A crise econômica do País continua complicada e tem afetado empreendedores de todos os portes e setores. Para se ter uma ideia, nos últimos 4 anos, mais de 400 mil vagas de trabalho foram encerradas no Brasil e 80 mil empresas fecharam as portas, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dos negócios que resistiram, muitos estão tendo que lidar com a queda nas vendas e no faturamento – também consequência do alto desemprego e corte na renda mensal das famílias, que mudaram seus hábitos de consumo. Segundo a pesquisa “Dificuldades das MPEs em 2019”, feita pelo Sebrae,  1/3 dos 1.700 entrevistados diz que a maior dificuldade enfrentada neste ano é a falta de clientes.

Ainda não sabemos ao certo quando a situação vai melhorar, mas a boa notícia é que existem jeitos simples e baratos de lidar com essa crise e aumentar as suas vendas, dando um novo ânimo ao faturamento. A Azulis conversou com uma especialista e reuniu 9 dicas interessantes, veja.

1) Identifique o problema

Antes de mais nada, você deve descobrir por que, afinal, suas vendas caíram, explica a especialista de negócios do Sebrae-SP Luciani Matielo. Será que o único problema é a falta de dinheiro dos consumidores ou há outros fatores envolvidos? Se os clientes não estão indo até seu estabelecimento, talvez a localização seja ruim ou a estratégia de marketing ineficiente, por exemplo. Se as pessoas entram e não compram, o erro pode estar no atendimento, preço ou até mesmo no produto, que não está atendendo às expectativas.

“É importante a loja conhecer ferramentas de conversão de vendas para compreender o que, de fato, está ocorrendo e traçar ações de melhoria. Os funcionários também devem ser treinados para ter esse olhar”, explica Luciani Matielo.

2) Corte gastos

A estratégia de recuperação das vendas não envolve apenas conseguir mais clientes, mas também diminuir os gastos. Olhe para todas as suas contas e veja onde é possível economizar. Talvez isso envolva abrir mão de alguns serviços, trocar fornecedores e diminuir a jornada de trabalho dos funcionários. Se o movimento está baixo, de nada adianta você manter a equipe ociosa no estabelecimento. Reduzindo a carga horária, o empreendedor economiza luz, água, custos de manutenção, entre outros.

3) Corra atrás de mais clientes

Outra dica de Luciani Matielo para lidar com a queda nas vendas é reativar sua carteira de clientes. Pegue todos os nomes e cadastros que tem e tente descobrir quais deles estão ativos, quais não são mais clientes e quais procuraram sua empresa, iniciaram uma negociação, mas não fecharam o negócio.

“Entre em contato com essas pessoas com uma boa oferta para oferecer. Ou procure entender com os antigos clientes por que não estão comprando mais”, diz a especialista.

Independentemente de o negócio estar indo bem ou não, é fundamental ter cuidado e atenção com o atendimento. Sempre se certifique de que os consumidores estão saindo satisfeitos, sem dúvidas ou reclamações. “Ao invés de vender, ajude o cliente a comprar, ofereça soluções, seja acolhedor, mostre que seu empreendimento é uma grande referência”, explica Luciani.

SAIBA+AZULIS: CRM – por que é importante investir no relacionamento com seus clientes?

4) Aumente o ticket médio

Ticket médio nada mais é que o valor médio de compra de cada cliente. Mesmo que o número de pessoas entrando no seu negócio não aumente, se o ticket médio da empresa crescer, você já vai sentir um efeito positivo no faturamento. Essa estratégia é muito usada por fast-foods, que, junto ao lanche, oferecem bebidas e batata-frita aos consumidores. Como o combo sai por um preço vantajoso, a chance de o cliente aceitar a sugestão é grande. Com isso, o ticket médio da empresa aumenta.

A dica, portanto, é escolher um produto barato da sua loja e oferecer aos consumidores junto a compras maiores. Além disso, você pode bolar ofertas em que um produto sai com desconto se o consumidor também levar outro. Outra ideia é pensar em combos a preços atrativos, assim como fazem os fast-foods. Mesmo que você perca um pouco no lucro em algum dos produtos, vai ganhar no ticket médio.

“O desafio é pensar em como fazer o cliente gastar um pouquinho mais. Um bom visual merchandising também vai ajudar. Uma loja atrativa, com uma exposição estratégica com certeza incentiva o cliente a comprar”, afirma Luciani, especialista do Sebrae-SP.

5) Aposte no marketing digital

Em épocas de crise, o marketing digital tem um papel fundamental na vida dos empreendedores. Você pode usar suas mídias sociais e site para tornar a marca mais conhecida, atrair clientes novos e divulgar seus produtos e ofertas. Algumas estratégias, como companhas e posts patrocinados no Instagram, devem dar uma nova visibilidade a sua empresa.

Outra possibilidade são os anúncios no Google, chamados Google Adwords, que colocam seu site lá em cima das páginas de busca. Também vale a pena estudar estratégias para ganhar mais engajamento no Instagram.

6) Tenha foco!

Quem tudo quer, nada tem – já dizia o ditado popular. Em vez de tentar vender todas as suas mercadorias para qualquer tipo de cliente, Luciani Matielo diz que é preciso ter foco. Basicamente, escolha um produto e, por 7 ou 15 dias, mantenha todos os seus esforços de venda e marketing nele. Deixe-o em evidência na loja, divulgue-o nas redes sociais e em outros canais.  Também é muito importante treinar os funcionários para que ajudem na campanha.

“É comum você ver uma oferta por exemplo nas mídias sociais e quando você vai na loja não identifica o produto, ou a equipe não está informada sobre a oferta”, afirma a especialista em negócios.

7) Repense preços e produtos

Toda empresa tem produtos e serviços que saem mais e outros que saem menos. Se as vendas estão baixas, é hora de avaliar com atenção as mercadorias vendidas e os preços cobrados no seu negócio. A ideia é diminuir a fabricação ou compra do que os clientes procuram pouco e focar nos “carros-chefes”. “Isso vai reduzir seus custos e garantir giro de estoque”, diz Luciani Matielo.

Também é indicado ficar atento aos preços. De tempos em tempos, refaça seus cálculos para saber se a relação entre custos e lucro está coerente, levando em consideração o mercado. Vale a pena também fazer pesquisas periódicas nos seus concorrentes.

8) Faça mais contatos

Conversar com outros empreendedores é sempre positivo para compartilhar ideias e experiências. Melhor ainda se esses empreendedores forem da mesma área que a sua. Ao participar de eventos, cursos, palestras ou grupos em redes sociais, você ouve ideias interessantes de especialistas e interage com pessoas que podem estar passando por problemas parecidos com os seus.

SAIBA+AZULIS: E-mail marketing: por que o seu negócio precisa apostar na estratégia?

9) Não faça dívidas

Se o seu faturamento não anda bom, fuja dos empréstimos, cheque especial ou qualquer outro tipo de dívida. Com as vendas baixas, a chance de você não conseguir quitar as parcelas e se enrolar com os juros é alta. Para quem já está devendo, o ideal é tentar negociar os valores ou trocá-los por dívidas mais baratas. Só assim, você estará tranquilo para pensar no que realmente importa: sair da crise, vender mais e voltar a crescer.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!