Opções de empréstimos para pequenos negócios

Por Redação Azulis

Muitas vezes, é preciso buscar dinheiro extra para fazer o empreendimento dar certo, e para essas horas existem empréstimos para ajudar pequenos negócios a crescer e ter sucesso.

Há diversas opções de empréstimos para pequenos negócios no mercado com o intuito de auxiliar empreendedores a gerar capital de giro, aumentar o negócio, formar estoque ou até mesmo para quem está pensando em abrir a própria empresa tirar o sonho do papel. 

Conheça agora algumas opções e suas especificações para entender qual o mais indicado para o seu pequeno negócio.

Como solicitar empréstimos para pequenos negócios?

A primeira diferença entre empréstimos para pessoa física e jurídica é que, para empresas, a transação está vinculada a um CNPJ, não a um CPF. 

Cada instituição financeira tem as suas especificações para autorizar os empréstimos, mas o que todas têm em comum é a necessidade desse documento, alterando limites, prazos e condições dependendo da categoria da empresa, como MEI, microempresa, pequena empresa e outros.

Quais instituições oferecem esse modelo de empréstimo?

Algumas das instituições que disponibilizam opções de empréstimos para pequenos negócios estão listadas para que você, empreendedor, consiga definir qual a mais adequada à sua necessidade de acordo com os valores oferecidos, prazos de pagamento, taxas de juros e documentações requeridas. Confira algumas delas!

Programa Juro Zero

O programa é uma parceria entre Sebrae e o governo do Estado de São Paulo e tem foco nos microempreendedores individuais (MEI). Para estar apto à linha de crédito é preciso ter concluído o programa Super MEI, ter um plano de negócios aprovado pelo Sebrae e não possuir restrições cadastrais no CNPJ nem CPF do solicitante. 

É possível solicitar até R$ 20 mil e o prazo de pagamento é de até 36 vezes. A maior vantagem é que este programa possui juros zero, como sugere seu nome, para pagamentos feitos em dia.

Sicredi

Oferece uma linha de Microcrédito Microempreendedor para que pequenas empresas possam investir no desenvolvimento de seu negócio. Com prazo de até 24 meses para pagamento, o Sicredi disponibiliza a linha de crédito para empresários formais e não formais. Para contratar, é necessário se dirigir até a agência Sicredi mais próxima.

Banco do Povo

Ferramenta do governo do Estado de São Paulo, o Banco do Povo disponibiliza empréstimos que vão de R$ 200 a R$ 20 mil para empreendedores formais e informais com juros de 0,35% ao mês. Para contratar é preciso se dirigir a uma unidade de crédito de seu município.

PNMPO

O Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado é vinculado ao Ministério do Trabalho e tem como objetivo disponibilizar microcrédito para que atividades produtivas possam ser desenvolvidas. 

É voltado para micro e pequenos empreendedores, caso estejam dentro dos requisitos necessários. Para solicitar, é preciso ter receita bruta anual de até R$ 200 mil e passar por avaliação do crédito. 

Creditas

Apesar dos empréstimos na Creditas autorizarem a comprovação de renda por meio dos extratos de pessoa jurídica, a transação é feita pelo CPF do solicitante. É possível utilizar bens, como carros e imóveis, como garantia e fazer.

A solicitação é feita online e é possível usar um simulador para que o empresário possa avaliar prazos e juros.

Onde posso usar o dinheiro do empréstimo?

Há empréstimos específicos para uso em compra de maquinários, materiais de construção, imóveis, automóveis e outros.

Mas, além disso, os valores podem ser usados para pagamentos de dívidas da empresa ou até mesmo como um investimento na renovação de estoque, utilização como capital de giro ou antecipação de recebíveis.

Antes de solicitar o empréstimo, analise se realmente precisa dele, o valor exato de que necessita e quais as condições de pagamento são as mais indicadas para que não afete negativamente as contas futuras da empresa, assim entrando na chamada “bola de neve”.

Quais os benefícios de contratar um empréstimo para pequenos negócios?

Os benefícios são diversos. Com empréstimos para pequenos negócios é possível ter recursos para desenvolver sua empresa com mais calma e planejamento, sem ficar atrás da concorrência oferecendo serviços obsoletos por falta de dinheiro, por exemplo.

Com o dinheiro extra originado de um empréstimo, também é possível antecipar os recebíveis e até fazer melhores negociações com fornecedores, dialogando sobre descontos em pagamentos à vista ou outros benefícios. 

Além das vantagens no uso do dinheiro, o principal benefício é na hora da contratação, já que empréstimos para pessoas jurídicas tendem a ter juros menores e condições especiais, quando comparados às negociações para pessoas físicas. 

Na hora da comprovação de renda, os CNPJs também se destacam por, normalmente, constarem valores maiores em seus extratos, assim passando mais confiança e garantia à instituição financeira que concede o empréstimo.

O que saber antes de contratar?

Nem só de valores disponíveis se faz um empréstimo. É preciso avaliar itens nas letrinhas miúdas que fazem toda a diferença no valor total pago ao final do contrato. As principais delas são: taxas de juros, prazo de pagamento e o Custo Efetivo Total.

Taxas de juros

É, normalmente, um percentual do valor do empréstimo e pode ser cobrado de duas maneiras: juros simples ou juros compostos. Confira!

  • Juros simples: é sempre baseado no valor total. Se um empréstimo de R$ 10 mil for negociado a 2% de juros ao mês, por exemplo, todos os meses serão pagos R$ 200 de juros (10.000 x 2% = R$ 200) pelo valor emprestado, até o final das parcelas;
  • juros compostos: é o chamado ‘juros sobre juros’. Nele, o cálculo é feito com base no valor inicial do empréstimo acrescido dos juros cobrados no mês anterior. Considerando os mesmos valores do exemplo acima, temos a seguinte situação:

1ª parcela: 10.000 x 2% = R$ 200 de juros.

2ª parcela: (10.000 + 200) x 2% = R$ 204 de juros

3ª parcela: (10.200 + 240) x 2% = R$208,08 de juros. E por aí em diante até a última parcela.

Os valores podem ser consideravelmente diferentes, dependendo do tipo de juros do contrato, por isso é importante entender bem antes de contratar para que o melhor negócio seja realizado.

Prazo de pagamento

O prazo de pagamento, aliado às taxas de juros citadas acima, podem influenciar muito no valor final pago pelo empréstimo, portanto é preciso fazer contas para avaliar qual modelo, dentro das condições e necessidades da empresa, é o mais indicado.

CET – Custo Efetivo Total

Além dos juros, há outros fatores que influenciam no valor total dos empréstimos, como encargos, impostos e outras taxas, e são elas que constituem o Custo Efetivo Total. O IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) está presente em todas as transações e pode ser acompanhado de taxas de cadastro ou adesão e também de seguros, caso o solicitante queira contratar.

Há ainda a possibilidade de os agentes financeiros inserirem outros tipos de taxas durante a negociação.

Então, ler o contrato, tirar todas as dúvidas e fazer as devidas contas é essencial antes de contratar seu empréstimo para pequenos negócios.

Agora, você já conhece as principais opções de empréstimos para pequenos negócios e tem condições de avaliar o que é melhor para o seu caso.

Quer ter acesso a mais conteúdos sobre empreendedorismo? Então acesse nosso blog e dê uma olhada nos outros artigos que colocamos à sua disposição!

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!