Quais os procedimentos para realizar um balanço patrimonial?

Por Redação Azulis

balanco-patrimonial

Você, com certeza, já ouviu algo sobre balanço patrimonial em algum lugar ou até a frase “fechado para balanço” por aí, certo? Mas você sabe o que é, como fazê-lo e qual a sua importância para as empresas? Confira a seguir:

O que é Balanço Patrimonial?

Também conhecido como Balanço Contábil, o Balanço Patrimonial (BP) é um relatório obrigatório que demonstra a situação financeira, contábil e econômica de uma empresa referente a um período determinado.

Sua elaboração segue regras determinadas pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e é composto por inúmeros dados, tais como informações sobre bens, investimentos, obrigações e fontes de recurso.

Qual sua importância?

Justamente por apresentar uma análise detalhada da situação financeira da companhia, o balanço patrimonial tem como objetivo principal fornecer informações valiosas que ajudarão, principalmente, na tomada de decisões. Com o relatório em mãos, é possível:

  • Obter índices de acompanhamento econômico e financeiro;
  • Indicar as origens das fontes de recursos para investimento;
  • Analisar a situação patrimonial exata do seu negócio;
  • Listar todos os direitos, bens e obrigações financeiras;
  • Examinar e calcular todos os dividendos;
  • Auxiliar na constituição de um planejamento tributário.

Além disso, por meio do BP, também consegue-se ter uma visão clara sobre a evolução da empresa e, assim, planejar futuras ações, bem como fornecer as informações necessárias para possíveis compradores.

Como é a estrutura do Balanço Patrimonial?

O primeiro passo para entender como é feito um balanço patrimonial é conhecer as definições de ativo, passivo e patrimônio líquido.

Ativos

Ativos são os recursos que a empresa possui, tais como bens, investimentos e direitos. Eles são divididos em três categorias: Ativo Circulante, Ativo Não Circulante e Ativo Total.

Ativos Circulantes são bens ou recursos que podem ser convertidos em dinheiro em curto prazo, como estoque, aplicações financeiras, dinheiro existente no caixa e na conta do banco da empresa.

Já os Ativos Não Circulantes são aqueles bens que possuem retorno em longo prazo, e estes são divididos em 3 tipos:

  • Ativo realizável a longo prazo: contas que serão quitadas a longo prazo e aquelas sem prazo definido;
  • Imobilizado: bens que se referem ao setor produtivo e ao funcionamento da empresa, tais como maquinários e carros. A depreciação que estes sofrem durante o passar dos anos também deve ser discriminada no balanço;
  • Intangível: são itens como patentes ou a marca registrada da empresa, que fazem parte de sua renda e da valorização, mas não são palpáveis;

E, por último, temos o Ativo Total, que nada mais é do que a soma de todos esses ativos, constituindo-se, assim, no total de investimento que a empresa possui.

Passivos

Os passivos são as obrigações financeiras da companhia e são divididos em Passivo Circulante e Passivo Não Circulante.

Passivos Circulantes são os compromissos assumidos que serão pagas em curto prazo, tais como salários, impostos a pagar ou a receber, e fornecedores.

Já os Passivos Não Circulantes são pagamentos que a empresa deve realizar a longo prazo, como financiamentos, por exemplo.

Patrimônio Líquido

O Patrimônio Líquido, também conhecido como Capital Próprio, é o resultado da soma entre todos os ativos, menos o total de todos os passivos, resultando, dessa forma, na riqueza interna da companhia.

Como realizar o Balanço Patrimonial na minha empresa?

Antes de começar a produzir o relatório, é importante ressaltar que manter a parte financeira e contábil da empresa bem organizadas é fundamental, pois é necessário ter um histórico constante de todos os valores que entram e saem do negócio.

Isso significa fazer o monitoramento de toda venda, aquisição, investimento e saldo da conta bancária. Manter esses dados sempre atualizados, possibilita ter uma visão geral mais fidedigna da situação da companhia.

Também é primordial referenciar e especificar a origem de cada transição para categorizá-las nos grupos de composição do balanço, ou seja, se são ativos ou passivos.

Manter um registro de todos os balanços realizados é fundamental para comparações e para enxergar a evolução da empresa, analisando-se, assim, suas perspectivas de crescimento.

Adotar um sistema que auxilie na gestão financeira é algo recomendado para facilitar a geração do relatório, simplificando o controle dos fluxos de entrada e saída.

Verificar se os valores que estão sendo lançados estão de fatos corretos é de extrema importância. Um exemplo é o lançamento indevido do salário de um colaborador.

Além do valor em si, a inexatidão dos dados pode aumentar os encargos trabalhistas relativos a ele. Isso, sem contar o risco de multa e processo judicial. .

Agora que você já obteve dicas primordiais que antecedem a montagem de um balanço, confira o passo a passo de como realizá-lo:

1.    Determine um período

Como já foi dito anteriormente, o balanço trata-se de um relatório que analisará um certo período, podendo ser semestral ou até anual. Portanto, comece determinando o período em que o BP será aplicado.

2.    Faça o levantamento dos ativos e dos passivos

A primeira coisa a se fazer é contabilizar o patrimônio líquido, somando todos os ativos e passivos.

Na soma dos ativos, comece pelo valor em caixa. Depois, faça um levantamento das contas a receber, os investimentos de curto prazo que a empresa possui e o total do estoque. Em seguida, junte tudo para chegar ao valor dessa parte do ativo.

Uma vez feito isso, some os ativos imobilizados, incluindo a depreciação, o valor dos intangíveis, os investimentos e realizáveis a longo prazo. Depois disso, adicione os ativos.

Nos passivos, siga o mesmo processo. Some primeiro os passivos circulantes e os não circulantes. No final, una os dois grupos para obter o valor total.

3.    Levantamento do Patrimônio Líquido

Por último, faça o levantamento do patrimônio líquido da empresa. Isso inclui o capital social, lucro ou prejuízo acumulados por meio dos exercícios e novos aportes.

A Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) também deve ser inserida, pois é ela quem indica a presença de lucro ou prejuízo no período examinado pelo BP.

Depois de tudo isso, o último passo é fazer as totalizações. Como é um levantamento trabalhoso e demorado, o ideal é se planejar bem e sempre manter tudo atualizado.

Conte com ferramentas que possam te auxiliar

Além dos inúmeros impostos e contribuições que o empreendedor precisa entregar e pagar em dia, ainda é necessário se preocupar com a entrega de relatórios específicos, como o balanço patrimonial.

Contar com uma ajuda para te lembrar sobre o pagamento do DAS, fazer consultas de CNPJ e emitir boletos facilmente facilitará muito a sua vida e te deixará mais focado apenas no crescimento do seu negócio!

Por isso, conheça a Azulis, uma plataforma digital que traz soluções de cobrança e pagamento para você vender mais sem perder tempo! Entre já em contato e saiba mais!

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!