Empréstimo PJ: tome a decisão certa para o seu negócio

Por Redação Azulis

Cessão de crédito para empresas funciona de forma diferente do empréstimo pessoal.

Empréstimo PJ

Não são poucos os motivos que levam uma empresa a precisar de uma injeção de novos recursos. Este capital pode ser necessário para expandir as operações da organização, comprar ou modernizar equipamentos, pagar fornecedores ou simplesmente garantir o capital de giro: o dia a dia dos negócios traz consigo essas inevitabilidades. É mais do que natural, portanto, o dono de uma empresa inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) recorrer a um empréstimo – mas como fazer um empréstimo PJ da maneira correta?

SAIBA+AZULIS: Capital de giro: você sabe o que é e como calcular?

Como funciona o empréstimo PJ

O empréstimo PJ é um contrato firmado entre uma empresa e uma instituição financeira para que os recursos cedidos pela segunda sejam aplicados nas atividades empresariais da primeira. Neste tipo de contrato, o dinheiro não pode ser usado para motivos pessoais pelo proprietário da organização: os recursos só devem ser utilizados nas operações – quitar dívidas, garantir capital de giro – ou para promover melhorias – comprar equipamentos, ampliar a infraestrutura etc. – na própria empresa.

O Governo Federal garante uma série de vantagens para o empréstimo PJ que não existem no empréstimo pessoal. Assim, quando um empreendedor utiliza o CNPJ de sua empresa para solicitar um empréstimo, geralmente ele tem acesso a prazos de pagamento e taxas de juros bem mais generosas em relação a quem pede um empréstimo via CPF, no empréstimo para a Pessoa Física. No empréstimo PJ, é preciso ainda apresentar um plano de negócios que mostre como o dinheiro será aplicado – uma forma de o banco avaliar os riscos envolvidos.

Ainda que o empréstimo para Pessoa Jurídica ofereça tais benefícios, todo empréstimo de dinheiro precisa ser pré-avaliado e feito com muito cuidado. As taxas que cada instituição financeira exige variam muito – inclusive de acordo com a avaliação que a instituição faz da empresa e do potencial ou risco que ela representa. Além de pesquisar as menores taxas e os melhores prazos, é essencial que se calcule previamente qual o valor exato que a empresa precisa para não correr o risco de afundá-la em uma dívida desnecessária.

Quais os documentos exigidos?

Com relação aos documentos que costumam ser exigidos no empréstimo PJ, os principais são:

🡪 Balanço Patrimonial: documento que apresenta a situação financeira e econômica da empresa com seus passivos, ativos, dívidas e receita;

🡪 Plano de Negócio: documento que comprova a viabilidade financeira da empresa e informa onde e como o dinheiro cedido será aplicado;

🡪 Contrato Social: documento que exibe qual tipo de negócio a empresa exerce: os produtos ou serviços que ela oferece, onde foi registrada, capital inicial, duração, etc.

🡪 Outros documentos que podem ser exigidos: RG e CPF do(s) dono(s), Certidões de Nascimento e Casamento, Comprovantes de Renda e Residência, Demonstrativo do Resultado do Exercício (DRE), Balancete Analítico, cadastro do CNPJ, ficha cadastral dos sócios (se for o caso), Relação de Frota e Relação de Endividamento Bancário.

Como conseguir um empréstimo PJ

A primeira coisa que se deve fazer antes de pedir um empréstimo PJ é planejar-se: identifique as necessidades da empresa, quanto de dinheiro ela precisa e como você fará para quitar o empréstimo. Crie um documento contendo todas essas informações em detalhes e que mostre ainda como o dinheiro será aplicado na empresa. Ir até a instituição financeira escolhida munido de todas essas informações e com todos os documentos necessários facilita – e muito – o processo de aprovação.

O principal objetivo na mente do empresário que solicita um empréstimo precisa ser comprovar, para a instituição financeira, a viabilidade de seu negócio e o potencial para gerar lucros. Se o banco entender que a empresa pode trazer bons rendimentos, ele naturalmente deve ceder o empréstimo. Uma boa forma de planejar e exercer um empréstimo bem sucedido é realizando as simulações de crédito que as próprias instituições financeiras oferecem – assim, é possível visualizar as parcelas, as taxas e os prazos e entender se elas cabem no orçamento da empresa.

Oferecido por grandes bancos, bancos digitais (as fintechs), financeiras, cooperativas de crédito e outras instituições, o empréstimo PJ compreende uma série de modalidades – cada uma com regras, taxas e prazos particulares. Confira os tipos de empréstimo PJ mais comuns:

🡪 Empréstimo para investimento fixo: é um tipo de empréstimo voltado para modernizar e expandir a empresa com investimento em bens duradouros: reformas, aquisição de equipamentos, compra de móveis, etc.

🡪 Empréstimo para investimento misto: empréstimo destinado tanto a possibilitar investimentos quanto a dar capital de giro – para comprar equipamento e a matéria-prima necessária, por exemplo.

🡪 Empréstimo para capital de giro: empréstimo destinado a dar recursos para que a empresa siga operando diariamente – quitar despesas, comprar produtos, manter o estoque, etc.

🡪 Outros tipos de empréstimo PJ: empréstimo para venda, empréstimo para compra, conta garantida, empréstimo coletivo (crowdfunding), factoring, antecipação de recebíveis, com veículo em garantia.

SAIBA+AZULIS: Diferença de empréstimo com garantia e sem garantia (GUIA)

Quando recorrer ao empréstimo Pessoa Jurídica

Agora que você já sabe mais sobre o empréstimo PJ e tem condições de avaliar qual o momento certo de solicitar crédito à instituição financeira de sua preferência, confira algumas das situações mais comuns em que uma empresa deve recorrer a um empréstimo:

– Para expandir os negócios;

– Adquirir computadores, móveis e equipamentos;

– Comprar imóveis e aprimorar a infraestrutura;

– Quitar dívidas e honrar os compromissos;

– Garantir o capital de giro e as operações diárias;

– Realizar um investimento financeiro em nome da empresa.

Vantagens e desvantagens do empréstimo PJ

Como mencionamos, o empréstimo PJ pode oferecer uma série de vantagens em relação ao empréstimo pessoal – contanto que o dinheiro cedido tenha o objetivo definido de ser aplicado na própria empresa. Confira os principais prós e contras:

🡪 Vantagens
– Juros do empréstimo são dedutíveis no Imposto de Renda
– Taxa de juros fixa, facilitando o pagamento
– Juros e prazos mais generosos do que no empréstimo Pessoa Física

🡪 Desvantagens
– Risco de endividamento
– Sem planejamento, pode levar à falência do negócio
– Documentação exigida é mais extensa do que no empréstimo Pessoa Física

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!