Juros abusivos: o que são e como evitar

Por Redação Azulis

Juros abusivos podem atrapalhar muito a sua vida. Descubra como driblá-los para alcançar a independência financeira.

Juros abusivos

O cuidado com juros abusivos é primordial para não comprometer a saúde financeira ao recorrer a uma operação de crédito. Portanto, buscar informação sobre o assunto é o primeiro passo para identificar essas cobranças indevidas e evitar problemas como endividamento.

Dito de forma breve, juros abusivos são taxas que excedem muito o valor médio do mercado e, assim, se configuram como cobranças irrazoáveis. Mas quais são os recursos que você pode utilizar para não ser enganado ao tomar um empréstimo? Como identificar se os juros de uma operação de crédito são, de fato, juros abusivos?

Analisar as taxas divulgadas pelo Banco Central é apenas uma das maneiras de fazer isso. Para explorar melhor o assunto, siga com a leitura deste guia.

O que são juros abusivos?

Juros abusivos são taxas de juros que excedem demais os valores médios praticados por bancos e instituições financeira no mercado.

Eles estão presentes em operações de crédito, como empréstimos, financiamentos, consórcios, cheque especial e até mesmo parcelamento de compras no cartão de crédito.

Legalmente, não existe uma definição sobre o que são os juros abusivos, tampouco existe um regulamento que determine uma taxa máxima a ser cobrada.

Mas o entendimento do Banco Central é que de os juros são abusivos quando estão muito acima da média do mercado.

Por isso, o Banco Central divulga indicadores de mercado periodicamente, com as taxas cobradas por instituições financeiras.

Esses indicadores são utilizados pelo sistema judiciário como parâmetro para definir se uma taxa de juros é, ou não, abusiva.

Além disso, o Código de Defesa do Consumidor, no Artigo 39, inciso V, configura como prática abusiva “exigir do consumidor vantagem manifestamente excessiva”.

SAIBA+AZULIS: Empréstimo urgente para negativados: cuidados, dicas e como fazer

Como os juros abusivos atrapalham suas finanças

Os juros abusivos podem comprometer o seu orçamento caso não sejam identificados.

Mas aqui não estamos falando apenas de juros abusivos, que excedem a média do mercado, e se configuram como cobranças indevidas, na verdade, até mesmo taxas de juros altas, mesmo que estejam dentro da média, podem causar danos às finanças.

Confira as principais consequências abaixo:

1. Risco de inadimplência

Juros abusivos aumentam o risco de você ficar inadimplente, porque eles elevam o valor da dívida com o banco.

Na prática, essa diferença pode deixar as prestações muito pesadas para o seu orçamento.

E aí, além de ficar com o nome negativado, dependendo do tipo de operação crédito, você ainda pode sofrer outras consequências.

Como no empréstimo com garantia de veículo, por exemplo, em que o banco pode tomar o seu bem em caso de inadimplência.

2. Pagar um valor que excede muito o crédito obtido

Ao obter crédito junto a uma instituição financeira, você se compromete a pagar pelo dinheiro recebido acrescido da taxa de juros. Afinal, é dessa forma por meio da qual o banco tem lucro.

Mas, quando os juros são abusivos, significa que você pagará muito mais do que o valor real que recebeu emprestado  — o que é prejudicial para o orçamento.

3. Endividamento

Outra consequência é o endividamento: ao optar por uma operação de crédito com juros abusivos, você pode complicar ainda mais a sua saúde financeira por não ter como pagar.

Até colocar o orçamento em dia, você pode contrair ainda mais dívidas, criando uma verdadeira bola de neve financeira.

SAIBA+AZULIS: Empréstimo pessoal sem consulta: confira 3 dicas e 4 cuidados

Como evitar juros abusivos

Depois de entender o que são juros abusivos e quais são as consequências, vamos à parte prática: como evitar essas cobranças indevidas antes de recorrer ao crédito?

Um dos recursos disponíveis é a Calculadora do Cidadão, disponibilizada pelo Banco Central para simular operações de crédito e identificar o valor real que você vai pagar de acordo com a taxa de juros praticada.

Para usar a calculadora, é preciso informar pelo menos três das seguintes informações: número de meses, taxa de juros ao mês, valor da parcela e valor financiado. Com o resultado em mente, a dica é consultar os relatórios do Banco Central, disponibilizados no site, e conferir as taxas praticadas pelas instituições em cada modalidade de crédito. Se os juros estiverem muito acima da média, podem ser considerados abusivos.

Além disso, tenha certeza de que você compreendeu todas as cláusulas do contrato antes de fechar negócio com o banco para evitar qualquer confusão mais tarde. E não se esqueça de comparar os valores cobrados por diferentes bancos e instituições financeiras para descobrir opções com juros mais baixos. A plataforma da Azulis ajuda nessa tarefa. Nela, você encontra diferentes modalidades de crédito, como empréstimos com e sem garantia e crédito para negativados.

Essas modalidades são oferecidas por fintechs e bancos digitais que, justamente por funcionarem baseados na tecnologia, oferecem taxas mais competitivas. Entre na plataforma, compare as operações oferecidas e avalie qual delas é a melhor opção para você.

Por fim, busque sempre ampliar seus conhecimentos em finanças. A educação financeira é o primeiro passo para tomar boas decisões ao lidar com seu dinheiro e para não cair em ciladas ao obter crédito com um banco. Então, fique ligado nos conteúdos do site da Azulis e comece a trilhar sua jornada de crescimento.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!