Universidades apostam em núcleos de empreendedorismo

Por Maria Teresa Lazarini

universidades-empreendedorismo

Em 2018, cerca de 52 milhões de brasileiros tinham um negócio próprio. Isso é o que mostra a última pesquisa realizada pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM), em parceria com o Sebrae. Com tanta gente empreendendo, a Taxa de Empreendedorismo Total (TTE) do País chegou a 38%, o que significa que quase 4 em cada 10 pessoas entre 18 e 64 anos estão tocando uma empresa.

Quando comparado a potências como os Estados Unidos, cuja TTE é 20%, e a China, com taxa de 26,7%, o Brasil se destaca. Parte desse cenário deve-se ao público jovem, cuja participação cresceu de 50% para 57% no total de empreendedores, segundo a pesquisa da GEM. Acompanhando essa tendência, instituições como a Universidade Federal do ABC (UFABC) e a Universidade de São Paulo (USP) decidiram apostar em núcleos de negócios que oferecem apoio, recursos e mentorias para quem quer começar a própria empresa. Confira algumas iniciativas:

1. InovaUFABC

Uma das principais ações da InovaUFABC é o Desafio UFABC-SENAI de Inovação e Empreendedorismo. Já na quinta edição, a iniciativa é voltada para estudantes matriculados ou ex-alunos em cursos técnicos, tecnológicos ou superiores que tenham potenciais negócios inovadores. Os finalistas ganham prêmios e podem apresentar seus projetos a investidores, aceleradoras e incubadoras.

O núcleo de empreendedorismo da UFABC também conta uma incubadora que impulsiona micro e pequenas empresas em fase inicial com mentorias, capacitações, oficinas, espaço de coworking, assessoria e atendimento em propriedade intelectual. Para fazer parte da incubadora, que atende alunos e não-alunos da universidade, os interessados podem comunicar seus projetos por telefone ou e-mail (no site) e aguardar avaliação.

2. Núcleo de Empreendedorismo da USP (NEU)

Diferentemente das ações promovidas pela InovaUFABC, a maioria das iniciativas do NEU é voltada à “comunidade USP”, que abrange alunos, ex-alunos, pesquisadores e professores da Universidade de São Paulo. Além de promover eventos sobre inovação e empreendedorismo, o NEU também tem o Startuplab, um programa de pré-aceleração que oferece suporte para transformar ideias de empresas em um modelo de negócios concreto.

Desde sua fundação em 2011, o NEU já ofereceu mais de 500 horas de mentoria e capacitou mais de 60 startups. Para participar do programa Startuplab, pertencentes à comunidade USP devem preencher um formulário e aguardar a resposta. Pessoas de fora da USP também podem se inscrever no formulário para receber cursos e materiais utilizados dentro do programa, mas não participam da aceleração.

3. Incubadora de Empresas – COPPE/UFRJ

Com mais de 20 anos de fundação, a Incubadora de Empresas da UFRJ já ajudou a formar mais de 100 empresas que hoje oferecem serviços e produtos inovadores. A ideia é estimular a criação de novas empresas ligadas às cadeias produtivas do Petróleo, Gás e Energia. Na incubadora, são oferecidas assessorias, capacitações e programas diversos como o 40+in, uma iniciativa que visa enxergar pessoas com mais de 40 anos de idade que tenham talentos para empreender.

Os interessados em participar do auxílio devem ficar atentos aos editais. Atualmente, as inscrições não estão abertas.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!