Como sair das dívidas e tomar controle das suas finanças

Por Redação Azulis

Quer aprender como sair das dívidas, mas está em dúvida do melhor caminho a seguir? Confira nosso guia completo.

Como sair das dívidas

Não sabe como sair das dívidas e já está perdendo o sono por causa delas? Calma: ao colocar algumas estratégias financeiras em prática, é possível voltar ao azul. Mas, para isso, você vai precisar de uma boa dose de disciplina e organização.

Fazer um diagnóstico das finanças, encontrar os gargalos do orçamento e buscar por modalidades de crédito com juros mais baixos são algumas mudanças que você deve promover.

Para ajudar na tarefa, preparamos um guia com 8 passos essenciais de como sair das dívidas. Acompanhe.

SAIBA+AZULIS: Como saber se meu nome está sujo e o que fazer para limpar?

Como sair das dívidas: passo a passo

Nós reunimos as principais dicas sobre como sair das dívidas para você fazer as pazes com seu orçamento:

1. Faça um diagnóstico das suas finanças

A primeira etapa é avaliar qual é sua real situação financeira. Muitas vezes, as dívidas surgem quando falta organização no orçamento.

Para fazer o diagnóstico, crie uma planilha de controle e registre sua renda, despesas mensais e dívidas, sem deixar nada de fora. Com esse mapeamento, você terá uma ideia clara do quanto deve e poderá, a partir de então, traçar estratégias mais assertivas.

Além disso, ao analisar as despesas mensais, você vai identificar gastos a serem eliminados para sobrar mais dinheiro para o pagamento das dívidas.

2. Separe finanças pessoais e da empresa

A separação de finanças pessoais e da empresa é crucial para sair das dívidas, manter a saúde financeira e garantir o controle do seu dinheiro. E isso inclui separar tanto as planilhas de controle financeiro quanto as contas bancárias: uma para pessoa física e outra para pessoa jurídica – dessa forma, você consegue visualizar com clareza as entradas e saídas de cada uma.

Além disso, defina um pró-labore: uma remuneração que você vai tirar todos os meses do negócio. Com isso, você evita retirar dinheiro do negócio para pagar contas pessoais.

3. Crie conta bancária PJ

Criar uma conta bancária PJ é essencial para manter o controle do fluxo de caixa. Dessa forma, todas as entradas e saídas do negócio ficam concentradas em um único local – mas existem outros motivos para fazer isso.

É que as contas PJ, apesar de ter custos mais altos do que PF, apresentam funcionalidades extras. Com elas, é possível, por exemplo, ter acesso a linhas de crédito com taxas de juros reduzidas, realizar conciliação bancária e utilizar produtos financeiros específicos para empreendedores, incluindo cartões, consórcios e investimentos.

4. Identifique os gargalos do orçamento mensal

Se você adotar uma planilha de controle financeiro, manter o registro de todas as entradas e saídas e categorizar as despesas, poderá visualizar mais facilmente quais são os gargalos do seu orçamento.

Em outras palavras, vai descobrir quais são os gastos que estão pesando no mês, mesmo sem você perceber na prática. A partir dessa avaliação, a dica é eliminar (ou pelo menos reduzir) essas despesas e destinar o dinheiro às dívidas.

5. Descubra os juros e custos das dívidas

Não dá para sair das dívidas sem conhecer o seu verdadeiro custo – e isso exige que você descubra quais são as taxas e os juros que está pagando em cima do valor que deve.

Ao ter essa definição, é possível tentar renegociar a dívida e analisar a possibilidade de reduzir as taxas de juros com o banco, ou tomar algum crédito mais barato.

6. Busque crédito mais barato

Outra possibilidade é a de buscar uma modalidade de crédito com taxas mais baixas para quitar a dívida.

Por exemplo: tomar um empréstimo pessoal ou empréstimo com garantia de veículo para pagar dívidas do crédito rotativo ou do cheque especial, que têm taxas de juros elevadas.

Na prática, você troca uma dívida maior por outra menor. Essa é uma estratégia que vale tanto para empresa quanto para pessoa física.

7. Encaixe os pagamentos no seu orçamento mensal

Incluir os pagamentos indispensáveis a serem realizados no seu orçamento mensal gera um controle maior sobre o dinheiro que sobra para pagar as dívidas.

Dessa forma, você também evita contrair novas dívidas e complicar ainda mais a situação financeira.

8. Desbrave novas fontes de receita

É claro que elevar a sua renda é um caminho certeiro para quitar as dívidas – até porque há situações em que cortar despesas e renegociar dívidas não é suficiente.

A dica, então, é buscar por novas fontes de receita: criar um blog, vender roupas em sites como o Enjoei ou fazer um trabalho como freelancer, por exemplo. O importante é buscar uma atividade extra que você saiba fazer e que consiga conciliar com seu trabalho atual.

SAIBA+AZULIS: O que é inadimplente? Tire todas as suas dúvidas sobre o assunto

Como sair das dívidas com a Azulis

Agora que você já sabe como sair das dívidas, aproveite uma dica extra para ter sucesso nesse desafio: a plataforma Azulis.

Ela facilita a busca por recursos financeiros que podem ajudar você a sair das dívidas. Crédito com as melhores taxas do mercado, empréstimos com e sem garantia, contas digitais para PJ são alguns dos serviços que você encontra na plataforma.

Aí, basta escolher o produto financeiro ideal para você e colocar em prática o seu plano para sair das dívidas – e reconquistar a sua saúde financeira.

Gostou das dicas? Aqui, na Azulis, você tem acesso a conteúdos personalizados e didáticos sobre o universo financeiro. Siga acompanhando para descobrir novas formas de lidar com seu dinheiro.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!