Gestão financeira do MEI: cinco dicas para cuidar bem das finanças

Por Redação Azulis

A gestão financeira do MEI é muito importante na vida do microempreendedor. Veja cinco dicas úteis e práticas para você administrar suas finanças.

Quando pedir um empréstimo PJ

Saiba o que muda para o MEI com a reforma da previdência

Confira nosso guia completo! Política de Privacidade

Acesse seu E-mail para baixar o conteúdo.

Um dos fatores decisivos para o sucesso de qualquer empresa, independentemente de seu porte, é um bom controle das finanças. Isso inclui a gestão financeira do MEI, mas, segundo o Sebrae, cerca de 48% dos microempreendedores não fazem o planejamento de receitas e despesas a curto, médio ou longo prazo.

Seja você um novo ou experiente empreendedor, é importante criar uma checklist de procedimentos fundamentais para manter a saúde financeira do seu negócio. Nós o ajudaremos nesta tarefa. Confira abaixo cinco dicas para não errar na gestão financeira do MEI.

1. Separe o patrimônio pessoal do empresarial

A primeira regra de ouro que provavelmente todo microempreendedor já ouviu para fazer a gestão financeira do MEI é: não misture suas finanças pessoais com as da empresa.

Na teoria parece simples, mas para um autônomo que normalmente tem na empresa uma das suas principais fontes de renda, pode ser mais complicado. Há situações em que seus gastos se confundem com os da empresa, como quando seu trabalho é feito em home office, por exemplo.

Neste caso, a dica para separar ao máximo as contas pessoais e as da empresa, antes de tudo, é abrir uma conta corrente Pessoa Jurídica e manter um cartão exclusivo para gastos empresariais.

Se for preciso utilizar alguma receita da empresa para pagar contas pessoais, estabeleça um limite mensal para isso. Avalie seu fluxo de caixa e, a partir dele, defina um salário mensal para suas despesas pessoais.

SAIBA+AZULIS: DAS MEI: a importância para o microempreendedor individual

2. Controle seu fluxo de caixa

Uma boa gestão financeira do MEI começa no controle de contas da empresa, já que o registro de recebimentos e pagamentos é a principal fonte de informação na hora de fazer um diagnóstico e um planejamento do negócio.

Para controlar o fluxo de caixa, mantenha um registro diário, ainda que simples, de toda receita e despesa da empresa, das contas a pagar e a receber, assim como suas origens e destinações. Dessa forma, é possível entender necessidades do negócio, como capital de giro, manutenção de estoque, compra de equipamentos ou pagamento de funcionário. 

Um fluxo de caixa devidamente registrado e organizado também reflete diretamente no bom planejamento estratégico do empreendimento, uma vez que a partir dele o microempreendedor saberá, por exemplo, quais dos seus produtos ou serviços são mais rentáveis.

Esse controle ajuda a definir uma melhor precificação, ou até oferecer promoções. Poderá também buscar melhores investimentos, assim como criar reservas de emergência para momentos de recessão, ou até prever a necessidade de empréstimos.

Além disso, o controle de fluxo de caixa é essencial para manter em dia as obrigações tributárias da empresa. Além de pagar os tributos mensais, o MEI precisa declarar anualmente seus rendimentos para a Receita Federal, o que fica mais fácil quando se tê     m os dados registrados e organizados em planilhas.

3. Tenha o plano de negócio como guia

A elaboração de um plano de negócio é outra ferramenta fundamental para uma boa gestão financeira do MEI. Um plano bem estruturado conta com uma avaliação das potencialidades e fragilidades da empresa, suas ofertas, demandas, canais, bem como uma projeção de receitas e despesas a médio e longo prazo, servindo de guia para a definição de metas mínimas e máximas.

Há inúmeras ferramentas e metodologias de gestão disponíveis para o desenvolvimento e a manutenção deste plano, como Canvas, 5W2H, SCRUM, SWOT, entre outras.

Procure e teste a que seja mais adequada ao seu perfil ou atividade e mantenha seu fluxo de caixa o mais alinhado possível a este planejamento. Ele será sua própria régua para medir a saúde financeira do negócio, além de auxiliar na tomada de decisões para atingir as metas previamente estabelecidas.

4. Conte com a tecnologia

Por mais simples que a gestão financeira do MEI possa parecer em um primeiro momento, é preciso lembrar que ela deve fazer parte da rotina do microempreendedor, demandando organização e dedicação.

Inicialmente, fazer anotações em um caderno pode funcionar, mas assim que sua demanda de negócio começar a crescer, a operação passa a ficar mais complexa e trabalhosa. Portanto, a melhor opção é contar com a tecnologia para a automação desses processos.

As planilhas de controle de gastos e de contas a pagar são as ferramentas básicas mais utilizadas na administração financeira da empresa. Existem diversos modelos disponíveis e você pode adaptá-los às necessidades e especificidades do seu negócio.

Há ainda a opção de contratação de softwares de gestão integrados, programas que centralizam todas as operações da empresa, facilitando a inserção e o acesso aos dados em relatórios detalhados.

E para auxiliar na gestão financeira do MEI, o Sebrae desenvolveu o software Acompanha-MEI, que tem download disponível gratuitamente no site da instituição.

SAIBA+AZULIS: Declaração de faturamento do MEI: o que é e como fazer

5. Capacite-se e procure ajuda profissional

Administrar uma empresa de qualquer porte não é tarefa simples, e uma boa capacitação é essencial para garantir o sucesso do empreendimento. Por isso, além de ampliar o conhecimento em sua área de negócio, busque cursos de administração, gestão financeira, marketing, ou mesmo treinamentos em ferramentas como o Excel.

Tudo isso vai ajudá-lo a entender o que é preciso para fazer uma boa gestão financeira, mas não hesite em buscar ajuda profissional quando necessária. É possível contratar consultorias financeiras ou contábeis em momentos específicos, caso você não queira pagar um profissional mensalmente. O importante é que suas contas estejam em dia para que sua empresa possa crescer sem grandes preocupações ou obstáculos no caminho.

E então, já segue todas essas dicas de gestão financeira do MEI? Continue aprendendo com os diversos conteúdos da Azulis sobre gestão financeira, administração, empreendedorismo e muito mais.

Que tal acompanhar todos esses e outros tópicos reunidos em um só guia? A Azulis reuniu em um único documento os principais temas relacionados ao MEI.  Clique aqui e confira. É possível tirar dúvidas sobre benefícios, registro e possibilidades de atuação nessa categoria, entre outros assuntos.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!