Maquininha de cartão para microempreendedor: como escolher?

Por Redação Azulis

Conheça os principais critérios que você, microempreendedor, deve levar em consideração na hora de escolher sua maquininha.

Maquininha de cartão para microempreen

Quem decide iniciar e formalizar um negócio enfrenta diversas escolhas já de cara, os meios de pagamento são uma delas. Quantas vezes você já teve que abandonar uma compra simplesmente porque o vendedor não aceitava cartão? Essa é uma situação delicada, por isso, saiba como escolher a melhor maquininha de cartão para microempreendedor e iniciar sua jornada com o pé direito.

SAIBA+AZULIS: Qual é a melhor maquininha de cartão para o MEI?

Se você quer facilitar os meios de pagamentos para os seus clientes e aumentar o seu faturamento, sem comprometer a lucratividade do negócio, é preciso entender o que considerar ao escolher a sua fornecedora. Não se trata apenas de escolher a máquina mais barata, mas aquela que melhor atende às suas demandas. Vamos conferir com fazer isso? Fique conosco e boa leitura!

Quais são os benefícios da maquininha de cartão?

Se você está procurando motivos pelos quais realmente utilizar a maquininha de cartão para microempreendedor, essa é a hora de conhecer as diversas formas como o seu negócio pode se beneficiar desse recurso. Confira!

Facilita para o consumidor

De acordo com dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviços (ABECS), o uso de cartões de crédito e débito deve ter um crescimento de cerca de 16% no ano de 2019. Isso equivale a uma participação de 40% no volume total de consumo brasileiro.

Com base nesses dados, é fácil perceber a importância desse meio de pagamento para os clientes, que optam cada vez mais por sair com cartões em vez de dinheiro. As razões para isso são diversas e vão desde a praticidade até a segurança. Aceitar maquininha de cartão é uma maneira de facilitar ainda mais a vida do seu público.

Aumenta as vendas

Com tantos consumidores utilizando cartão de débito e crédito, esse pode ser um ótimo atrativo para as vendas do seu negócio. Especialmente em compras de valores mais altos, o parcelamento no cartão de crédito pode ser um fator decisivo. Se o cliente não possuir o valor integral do produto no momento da compra e você não facilitar o meio de pagamento poderá perder a venda.

Existem outros meios de chegar ao parcelamento, no entanto, o cartão de crédito é um dos mais seguros para você, microempreendedor. Com as vendas e um fluxo de caixa garantidos, você poderá investir cada vez mais no crescimento do seu negócio.

Diminui o risco de inadimplência

A venda com o cartão de crédito ou débito garante o recebimento do pagamento. A operadora do cartão faz o meio-campo entre você e o comprador, assim, mesmo que ele não honre com a sua fatura do cartão, o banco cobrirá esse valor. De uma maneira ou de outra, você receberá pela venda.

No caso dos pagamentos no débito, você tem a opção de receber o dinheiro na mesma hora, pela conta cadastrada. Já as vendas a crédito seguem as condições determinadas pelo plano da maquininha. Em termos gerais, é descontada a taxa pelo serviço e o restante do valor é disponibilizado no prazo definido no plano contratado.

Atribui segurança

Independentemente do fluxo de vendas diárias da sua empresa, qualquer perda faz uma grande diferença no final do mês. Por isso, manter quantidades maiores de dinheiro no estabelecimento pode ser arriscado. O mesmo acontece com profissionais que precisam se deslocar durante a sua jornada.

Com a maquininha de cartão para microempreendedores o dinheiro fica seguro na conta e qualquer contratempo pode ser comunicado à operadora.

Acaba com o problema do troco

Se você enfrenta esse dilema diariamente, deve estar louco para se livrar dele, não é mesmo? Não tem nada mais chato do que fechar uma venda para a qual você não tem troco. Nesses casos, as opções são restritas: ou você tenta trocar o dinheiro “no vizinho” ou acaba sendo forçado a dar um desconto adicional para o cliente. Isso quando não perde a venda.

Essa situação é um verdadeiro embaraço. Por isso, com a maquininha de cartão, você começa a dar adeus para essas saias justas e passa a fechar as vendas de maneira muito mais satisfatória.

Como escolher a maquininha de cartão para microempreendedor?

Cada opção de maquininha possui vantagens únicas. Com base nisso, elas podem ser mais ou menos indicadas para as necessidades do seu negócio. É preciso observar todos os detalhes que estão inclusos na oferta de serviços para compreender realmente qual delas atenderá melhor sua empresa.

SAIBA+AZULIS: Quanto custa ter uma maquininha de cartão?

Não se trata apenas da máquina mais barata, mas sim da mais atrativa para o seu empreendimento.

Confira agora os itens que você não deve deixar passar:

  • taxas — opte por aquelas alternativas mais transparentes, que deixam claro quais são as taxas cobradas e, claro, que não comprometam a lucratividade da empresa;
  • custo inicial — compare o custo inicial de aquisição das maquininhas e se elas cobram mensalidade;
  • juros — os juros são os valores cobrados sobre as operações efetuadas, ou seja, cada venda;
  • cartões aceitos — quanto maior a variedade de bandeiras aceitas, melhor você poderá alcançar seus consumidores;
  • impressão de recibos — entre as modalidades de maquininha existem as com impressão de recibos e as sem, analise a sua necessidade;
  • prazos — também procure saber sobre o prazo que cada maquininha leva para liberar o valor das vendas.

Quais são as taxas das maquininhas de cartão para microempreendedor?

Para operar, as empresas que disponibilizam as maquininhas de cartão para microempreendedores cobram as chamadas taxas de administração. Elas podem variar de fornecedora para fornecedora e também de acordo com a atividade do negócio.

Taxas e juros altos podem acabar prejudicando a empresa, comprometendo sua margem de lucro e forçando o aumento do preço de venda. É importante pesquisar e comparar esses valores, especialmente porque eles variam de acordo com o plano contratado e o prazo de recebimento das vendas.

As taxas de débito geralmente são menores, ficando entre aproximadamente 1,85% e 2,39%. Já para quem utiliza as opções de crédito, podem subir um pouco — de 2% a 4,99%. No entanto, é importante lembrar que as operações a crédito podem ser recebidas de diferentes maneiras, dentro do prazo pago pelo cliente ou de forma adiantada, porém, com um acréscimo nas taxas. Confira as principais alternativas do mercado e as taxas cobradas por elas no nosso comparador de maquininhas.

Mesmo assim, considere todos os aspectos que podem ser benéficos para o seu negócio. Se determinada maquininha de cartão para microempreendedor tem uma taxa mais alta, mas entrega uma vantagem indispensável para o seu negócio, ela pode ser uma boa opção.

O ideal é sempre manter um bom planejamento financeiro para não ter que adiantar valores e, assim, pagar mais por isso.

Agora que você já sabe como escolher a melhor maquininha de cartão para microempreendedor, não pare por aqui. Assine nossa newsletter e receba todos os nossos posts diretamente no seu e-mail!

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!