O que é e como funciona o marketplace?

Por Redação Azulis

Você está querendo abrir seu negócio em um marketplace, mas ainda está com dúvidas de como ele funciona? Confira tudo o que você precisa saber sobre este assunto.

marketplace

O hábito de compras online vem crescendo a cada dia no Brasil, fazendo com que cada vez mais empreendedores busquem opções de comércio online, como o marketplace.

Antes de começar, você sabe o que é e como funciona um marketplace? Se você tem curiosidade de saber e está pensando em investir nisso, está no lugar certo. No texto de hoje, respondemos as principais dúvidas sobre o tema.

O que é marketplace?

O marketplace é um modelo de negócio de comércio eletrônico que funciona como uma espécie de shopping center online. Ele chegou no Brasil em meados de 2012 e se popularizou com o sucesso de grandes marcas como Mercado Livre, Magazine Luiza e Americanas.com.

Sua estrutura oferece diversos produtos, marcas e lojas. O cliente encontra tudo o que precisa, comparando marcas e preços a um clique de distância e com a vantagem de pagar de uma só vez.

Para o empreendedor, esse modelo de negócio pode ser bastante interessante, pois dependendo de sua estratégia de marketing, pode conseguir maior visibilidade do que teria com uma loja física.

Ainda assim, é importante não esquecer que no mercado online a concorrência é maior.

Vale ressaltar que um marketplace funciona apenas como um intermediário. Todo o planejamento estratégico do seu negócio é de sua responsabilidade, assim como definição de preço, publicidade e logística de entrega do produto.

SAIBA+AZULIS: Cartão Trigg: quais são os benefícios do cartão dessa fintech?

Como funciona um marketplace?

O funcionamento é bastante simples e com a vantagem de já ter uma estrutura de qualidade montada, mas é importante se aprofundar no tema para não ser pego desprevenido.

Para iniciar, basta fazer o registro da sua loja em um marketplace de sua preferência, cadastrar seus produtos e começar a vender.

Agora é entender o comissionamento. Em diversos casos, a cobrança neste tipo de negócio funciona na base de comissão sobre as vendas da loja, variadas em 9,5% a 30% dependendo do marketplace. Por isso é importante avaliar bem.

Essa variação tem um motivo. Na hora que o lojista faz o cadastro do produto em um marketplace, ele pode escolher entre diversas formas de visibilidade.

De fato, isso faz com que o produto anunciado, dependendo do modelo selecionado, tenha mais chances de venda.

Outra questão que precisa ficar clara: o lojista não recebe pela venda do produto assim que for finalizada. Na verdade, isso só acontece depois da entrega do item ao cliente.

Existem casos em que o produto pode demorar de 30 a 45 dias para ser entregue, portanto, saiba se o seu fluxo de caixa lhe garante um negócio desse tipo.

Para finalizar, como dissemos no início, o marketplace funciona apenas como um intermediário, facilitando algumas questões para quem quer apostar nesse modelo de negócio.

Mas todo o planejamento, publicidade, logística e atendimento são de responsabilidade do lojista. 

SAIBA+AZULIS: Melhores aplicativos de cashback: 6 apps que você precisa conhecer

Benefícios e riscos de montar um marketplace

Como todo negócio, há benefícios e riscos que devem sempre ser avaliados antes de investir em uma nova estrutura.

Participar de um marketplace não é diferente. Selecionamos abaixo alguns dos principais benefícios e riscos para você entender melhor:

Benefícios

Marketplaces são naturalmente locais de grande tráfego de consumidores e os números só tem crescido. Isso se reflete no aumento das vendas neste nicho.

Segundo dados da Ebit/Nielsen, o marketplace no Brasil registrou um crescimento de 13% no faturamento no primeiro semestre de 2019, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Aumentar a visibilidade de uma marca é outro benefício atrelado a esse modelo de negócio. Para isso, é importante buscar o marketplace que mais se adequa a sua proposta de valor. Isso porque alguns permitem personalizar as descrições dos produtos, trazendo a essência da sua marca para o ambiente.

Por fim, o cliente é quem tem o papel mais importante e deve ser o foco. A experiência do usuário conta e muito, e em uma plataforma de marketplace, com a estrutura de qualidade que geralmente é oferecida, a chance desse consumidor sair satisfeito é grande.

A fidelização do cliente é outro benefício. Também segundo a pesquisa da Ebit/Nielsen, 54% dos consumidores se dizem fiéis aos marketplaces. Além da boa experiência de navegação, outros pontos que fazem o clientes voltar são a possibilidade de encontrar diversos produtos, preço, descrição correta do item, cumprimento de prazos e atendimento. 

Riscos

Como em qualquer negócio, o marketplace também tem seus riscos. Com a plataforma, podemos considerar um risco e, principal desafio, a manutenção da qualidade do portal. Um site defasado, que caia ou trave a todo momento e não ofereça uma boa experiência ao usuário, tende a diminuir a movimentação e as vendas.

Como explicado mais acima, as taxas de comissão e algumas regras de entrada podem ser um entrave para uma gestão sustentável de um negócio. Por isso, a importância de avaliar e entender como o negócio funciona antes de investir.

É importante que o lojista tenha uma ótima estrutura de atendimento ao cliente e um bom controle de estoque. Como esses itens são vitais para a satisfação do consumidor, um erro pode fazer perder um cliente ou mais, gerar reclamações e até manchar a imagem de uma loja.

Por fim, vale lembrar que um marketplace tem muita concorrência e venda de produtos similares, o que pode impedir que uma marca se destaque.

Tudo sobre a gestão financeira de um marketplace

Se você chegou até aqui, já entendeu que uma das principais características de um marketplace é ser uma plataforma de vendas para uma enorme quantidade de lojas e marcas. Como gerir então financeiramente todo esse universo?

Como os clientes podem adquirir produtos de diferentes lojas em um único local, a maneira mais adequada encontrada foi o pagamento unificado.

O consumidor paga uma única fatura e o marketplace faz o repasse dos valores para os lojistas conforme a entrega de cada item, descontando as respectivas taxas de comissionamento.

Para as marcas, a gestão financeira também é importante. Fazer uma adequada gestão de estoque, documentar cada entrega e emitir as notas fiscais corretamente, ajuda a manter o negócio saudável e sustentável.

Além disso, esse controle tem que incluir os prazos de recebimento das vendas do marketplace.

Estar em um marketplace é uma questão de estratégia de mercado e uma ótima opção para os dias atuais.

Quer saber mais sobre e-commerce ou fidelização de clientes, continue em nosso site. Para conferir esses e outros conteúdos, clique aqui. A Azulis te mostra de forma simples e objetiva quais as vantagens de diversos modelos de negócio.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!