As 5 melhores cidades para empreender no Brasil

Por Redação Azulis

O Brasil tem 26 Estados e um Distrito Federal, mas você sabe em qual deles seu empreendimento será mais bem-sucedido?

empreendeder-florianopolis

Entre tantos Estados brasileiros cheios de empreendimentos, alguns se destacam por oferecer maior qualidade em infraestrutura, cultura empreendedora e capital humano, entre outros itens. Quem aponta esses dados é o último Índice de Cidades Empreendedoras (ICE), disponibilizado pela Endeavor em 2017.

As regiões Sul e Sudeste lideram a lista, com 5 capitais entre as melhores cidades para empreender. O estudo aponta, ainda, que Campo Grande, Maceió e Manaus estão entre as capitais com menos cultura empreendedora. Veja agora os principais resultados e como a Endeavor chegou até eles.

SAIBA+AZULIS: Guia do MEI: tudo o que você precisa saber para ter sucesso

Quer abrir seu negócio e ser um empreendedor bem sucedido?

Baixe nosso guia que te mostra o passo a passo de como abrir uma empresa simples! Política de Privacidade

Acesse seu E-mail para baixar o conteúdo.

Melhores capitais para empreender

Algumas das principais capitais brasileiras se destacaram quando o assunto é empreendedorismo. Entre elas, alguns resultados foram previsíveis e outros foram uma surpresa. Veja agora as melhores do ranking:

São Paulo (SP)

Conhecida como Capital dos Negócios, São Paulo ficou com o 1º lugar no ranking das melhores cidades para empreender, com 8,492 pontos, e motivos não faltam, seja para começar um negócio do zero, seja para abrir uma franquia.

A facilidade de acesso ao transporte público e rodovias, a grande oferta de voos diretos de outros estados e países e o acesso fácil à internet são alguns dos motivos que fazem São Paulo se destacar em infraestrutura para empresas, além de ter um desenvolvimento econômico acelerado, concentrando boa parte do PIB do país e facilitando o acesso ao crédito.

Já quando o assunto é ambiente regulatório, que envolve impostos, tempo de processos e burocracia, São Paulo não está tão bem na lista, ficando em 25º lugar nesse quesito. Ao passo que, Cuiabá, por exemplo, é a cidade mais rápida em abertura de empresas, com média de 20 dias. São Paulo, por outro lado, leva mais que o triplo do tempo, em uma média de 74 dias. Apesar disso, a cidade já conta com o programa Empreenda Fácil, que visa desburocratizar os processos e facilitar a vida dos empreendedores.

Florianópolis (SC)

A capital catarinense ocupa o 2º lugar no ranking, impulsionada pela oferta de capital humano, que se destaca devido a um conjunto de fatores, como notas do ENEM acima da média do país e alto número de adultos com ensino superior completo, formando profissionais com melhores qualificações.

Floripa, como é conhecida, também se destaca em cultura empreendedora, com sua população entendendo a importância dos empreendedores e incentivando novas oportunidades de negócio. Isso contribui também para a boa colocação no quesito Inovação, com empresas que visam as áreas de tecnologia, ciências e inovação.

Vitória (ES)

A capital do Espírito Santo foi considerada a 3ª melhor cidade para empreender nessa pesquisa. Um dos fatores que caracterizam essa colocação é, assim como Florianópolis, a grande oferta de mão de obra qualificada. Com colaboradores bem-qualificados em educação básica e específicas, as empresas têm o poder de crescer com qualidade e ter melhores taxas de lucro, já que a produtividade também será maior.

Além disso, a cidade apresenta boa infraestrutura para empreendedores. Com distância de aproximadamente 1 km até o porto mais próximo e bom transporte interurbano, há a facilidade de acesso dos colaboradores às empresas, assim como aos fornecedores e potenciais clientes, aumentando as possibilidades de negociação.

Curitiba (PR)

Apesar de o acesso à capital da cidade paranaense ter caído em comparação ao último censo, Curitiba ainda é uma das que têm mais crédito ao seu dispor, ficando com o 4º lugar do ranking geral. Isso significa que há investimentos na cidade, mesmo em momento de crise econômica, seja por bancos ou fundos de investimentos.

Na maioria dos demais quesitos, como capital humano, citado também nas primeiras colocações desta lista, Curitiba está em constante crescimento, ganhando pontos quando comparada à análise anterior.

Já a cultura empreendedora não é o forte da cidade, que foi uma das últimas colocadas nesse quesito, por não exercer bom potencial em empreendimento de alto impacto e ter pouco perfil empreendedor entre a sua população.

Rio de Janeiro (RJ)

O 6º lugar vai para a cidade maravilhosa, que ocupa o lugar mais alto do pódio quando o assunto é inovação. Com média acima das demais cidades nesse quesito, o RJ explora novos mercados, inclusive, atraindo concessões e investimentos para manter atividades que inovem o mercado.

Com a chamada ponte Rio-São Paulo, a cidade carioca também desponta em infraestrutura e mercado, com fácil acesso a todos os mercados e centros empresariais, o que facilita negociações e aprimoramento das atividades.

Bônus: Apesar de não ser uma capital, a cidade catarinense de Joinville ocupa o 5º lugar no ranking das melhores cidades para empreender. A cidade se destaca por ter a conectividade de grandes capitais, com a qualidade de vida de pequenas cidades.

SAIBA+AZULIS: DAS MEI: a importância para o microempreendedor individual

Quesitos avaliados no ICE

As melhores cidades para empreender foram escolhidas por meio de uma análise baseada em diversos quesitos, como a disponibilidade de mão de obra qualificada, a estrutura necessária para novas empresas e a abertura de mercado para aquele segmento. Veja agora, item a item, como foi feita esta avaliação.

Ambiente Regulatório

Avalia as questões burocráticas, divididas em três quesitos: tempo de processos, custo de impostos e complexidade tributária. É por esse fator que será possível analisar tempo de espera para abertura de empresa e alíquotas médias de ISS, por exemplo.

Infraestrutura

Aqui, é avaliado tudo de que uma empresa precisa, em termos físicos, internos e externos, para funcionar, como transporte e condições urbanas. Dentro deste item, foram analisados os subitens: conectividade via rodovias, preço médio do metro quadrado e até porcentagem da população com acesso rápido à internet.

Mercado

O desenvolvimento econômico e clientes potenciais são os pontos altos desse quesito. Aqui, são considerados o PIB total e per capita, média das compras públicas por empresa e proporção de empresas exportadoras com sede na cidade.

Acesso à capital

As questões financeiras estão ligadas diretamente a esse item, que avalia Capital Disponível via Dívida e Acesso a Capital de Risco. Para isso, são analisados o capital poupado per capita e as operações de crédito por município.

Inovação

As empresas que incentivam a competitividade do mercado, por meio de inovações, são destacadas neste item, que leva em consideração pontos como índice de infraestrutura tecnológica, tamanho da economia criativa e até a proporção de mestres e doutores em ciência e tecnologia.

Capital Humano

É chamada de “capital humano” a mão de obra, básica ou qualificada. Para isso, são consideradas notas em exames, como ENEM e ENADE, e custo médio de salários.

Cultura Empreendedora

Para uma cidade ser considerada detentora de cultura empreendedora, são analisados itens como o potencial para empreender com alto impacto e a imagem do empreendedorismo na cidade. São levados em consideração os índices de criatividade, a imagem dos empreendedores na mídia e a visão de oportunidades.

Agora que você já sabe quais são as melhores cidades para empreender e entende os critérios que levam uma cidade a entrar nesse ranking, pode avaliar melhor onde abrir seu negócio.

Acesse o site da Azulis e confira outras dicas e informações sobre empreendedorismo.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!