Quais são os principais desafios e oportunidades para o MEI em 2020?

Por Redação Azulis

O MEI terá diversos desafios e oportunidades em 2020. Veja quais são eles

Microempreendedor individual deve se preparar para a retomada econômica

Especialistas consideram que 2020 vai ser marcado pelo início da recuperação econômica e os MEIs (Microempreendedores Individuais) devem estar preparados para o atendimento de novos clientes e aumento nas vendas dos seus produtos e serviços.

O fim de 2019 já mostrou o início da retomada econômica, com a geração de empregos e o PIB (Produto Interno Bruto) dando sinais de crescimento, ainda que tímidos. As projeções são que os indicadores econômicos terão desempenho ainda melhores em 2020, com expansão dos negócios e da própria economia.

SAIBA+AZULIS: Empreendedorismo feminino: mulheres que viraram o jogo

Isso não significa que não haverá desafios para os empreendedores. Pelo contrário, ainda será um ano de dificuldades que vai demandar muito empenho dos MEIs para driblar os percalços e alcançar os objetivos. De acordo com o consultor do Sebrae-SP, Vitor dos Santos, o principal desafio que as empresas devem enfrentar nos próximos anos é a profissionalização dos seus serviços.

A falta de mão de obra especializada tem causado grande dificuldade de expansão para os empresários em momentos de retomada econômica. Neste contexto, as pequenas empresas que estiverem melhor preparadas são as que terão mais chances de sucesso em seus negócios nos próximos anos.

“A tendência é que mais companhias busquem a terceirização para complementar o seu quadro de atividades”, considera o representante do Sebrae.

O fato é que, com as mudanças na Lei de Terceirização, muitas atividades foram excluídas do quadro das empresas e a tendência é que aumente a contratação de microempreendedores individuais para a prestação desses serviços. Essa lei muda drasticamente o mercado de trabalho brasileiro. Entre as principais alterações trazidas pela norma está a possibilidade de contratação de trabalhadores terceirizados para a realização de atividades adicionais. 

Saiba o que muda para o MEI com a reforma da previdência

Confira nosso guia completo! Política de Privacidade

Acesse seu E-mail para baixar o conteúdo.

Linha de crédito

Outro ponto importante que os microempreendedores devem ficar de olho é quanto às linhas de crédito. Conseguir financiamento não é tarefa fácil para os pequenos empreendedores: muitas vezes eles acabam ficando reféns de altas taxas de juros cobradas pelas instituições tradicionais. O consultor do Sebrae comenta que buscar custos mais baratos contribuem para que as pequenas empresas tenham melhor resultado na prestação dos seus serviços.

Várias medidas estão feitas para tornar a linha de crédito mais fácil e com custos mais baratos para os microempreendedores. No entanto, ainda é importante pesquisar bastante as opções do mercado antes de recorrer a um empréstimo”, explica o representante do Sebrae.

Vale lembrar que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e os bancos de fomento dos governos estaduais apresentam opções de crédito com taxas de juros menores e prazos mais alongados, já que possuem linhas de crédito específicas para pequenas empresas.

Se você está buscando crédito para alavancar o seu negócio, não deixe de conferir o comparador de empréstimos da Azulis. Nele, você encontra opções para todos as empresas, desde autônomos a negativados. É só clicar aqui para ver com os próprios olhos.

No entanto, antes de recorrer aos financiamentos, é sempre importante fazer a lição de casa. Um planejamento detalhado do seu plano de negócio, do fluxo de caixa e dos objetivos com o crédito ajudam a confirmar se você realmente terá condições de arcar com as parcelas de um financiamento. Além disso, alguns bancos de fomento costumam dar um período de carência para começar a pagar o financiamento. Isso pode ajudar o empreendedor a ganhar fôlego antes do início da quitação.

Principais setores que o MEI deve apostar

Para o consultor Vitor dos Santos, a retomada econômica deve fazer com que vários setores da economia apresentem destaque no próximo ano. “O importante é que o microempreendedor veja a sua atividade como um olhar de empresário, buscando informações e dados sobre o seu setor para estar preparado para as necessidades do mercado”, diz o especialista.

SAIBA+AZULIS: Infográfico: como está o empreendedorismo no Brasil? 

1. Alimentação saudável

Entre os setores que ele cita que terão bom desempenho no ano que vem estão o de alimentação saudável. Estudos mostram que cerca de 80% dos brasileiros tentam ter uma alimentação mais equilibrada e outros 70% preferem consumir produtos mais saudáveis.

Diante deste cenário, o mercado de alimentação saudável ganha cada vez mais destaque entre a população, com diversas possiblidades para quem quer atuar neste setor. O universo da alimentação saudável vai além dos comerciantes que vendem os produtos. Professores de educação física, nutricionistas e produtores são algumas das áreas que podem se beneficiar deste segmento, que tem apresentado expansão média de 12% ao ano.

De acordo com informações do Sebrae, o mercado de alimentação saudável ligado à saúde e bem-estar movimenta cerca de US$ 35 bilhões por ano no Brasil, que é o quarto maior mercado do mundo.

2. Beleza

Outro setor que também vem ganhando destaque nos últimos anos e deve seguir em alta ano que vem é o de beleza, inclusive com os homens que também estão se cuidando mais. De acordo com dados da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), o setor de beleza obteve um crescimento de 2,77% no ano passado na comparação com o ano anterior. Entre janeiro e julho de 2019, a indústria de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos obteve alta de 1,5% em comparação com o resultado registrado no mesmo período do ano passado.

O segmento masculino, por sua vez, praticamente dobrou nos últimos cinco anos e o faturamento de cosméticos direcionados para os homens cresceu 30%.

3. PETS

O consultor do Sebrae cita ainda a expectativa de expansão do setor de cuidados com animais de estimação.

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) mostram que existem mais de 132 milhões de animais de estimação no país. O resultado é um mercado aquecido, que deve atingir um faturamento de R$ 20 bilhões no ano que vem.

“Também nesta área há espaço para diversas atividades, como para a indústria que faz roupas e de acessórios, por exemplo”, diz o consultor do Sebrae.

Por fim, ele lembra que há uma tendência grande de crescimento para as atividades facilitadoras, como para aplicativos para entrega de alimentos ou para o transporte de passageiros e cuidadores. Neste ano, essas atividades já tiveram grande destaque, com um número cada vez maior de pessoas buscando sua renda em aplicativos de entrega de alimentos ou de transporte de passageiros.

Use a tecnologia a seu favor

Neste contexto todo, a tecnologia pode ser uma grande aliada dos pequenos empresários, já que existe uma série de plataformas on-line que contribuem para administração, vendas e pagamentos do negócio.

Há muitas opções pela internet, inclusive algumas plataformas gratuitas, que podem ajudar muito os pequenos empreendedores. O importante é pesquisar, conversar com os concorrentes e avaliar qual modelo melhor se adapta às suas necessidades”, comenta o representante do Sebrae.

Entre as opções disponíveis no mercado, Vitor dos Santos cita o Wise Cash, que é uma ferramenta 100% gratuita que ajuda a controlar as entradas e saídas do seu negócio.

Por fim, ele comenta que o WhatsApp Business e o Google Meu Negócio são ferramentas importantes para ajudar na captação e fidelização de clientes.

O Google Meu Negócio é uma ferramenta gratuita onde sua empresa pode se cadastrar e, com isso, conseguir uma ótima exposição nos resultados de pesquisas do buscador e também no Google Maps. A principal vantagem é aparecer logo na primeira página do Google.

Além disso, os microempreendedores podem usar as ferramentas disponíveis no site da Azulis, como o comparador de maquininhas, as melhores opções de empréstimos para empreendedores e o lembrete DAS.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!