Movimento de caixa: o que é e como fazer o fluxo de caixa

Por Redação Azulis

Neste artigo, além de descobrir sobre o que se trata o movimento de caixa, você também vai acompanhar um passo a passo para aplicar na sua empresa.

Movimento de caixa

Todo empresário que começa um negócio precisa ter um controle mínimo do movimento de caixa.  Afinal, somente dessa forma é possível saber o quanto entra de receita e o quanto sai para despesas diversas.

SAIBA+AZULIS: E-Cobrança: o que é, como utilizar e alternativas melhores no mercado

Ignorar esse monitoramento é, sem dúvida, um equívoco que pode custar caro. Tanto é assim que a má gestão financeira aparece como uma das principais causas de mortalidade das empresas.

O Brasil, por exemplo, fecha mais negócios do que abre a cada ano, segundo levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Portanto, se você não quer que o seu empreendimento corra esse risco, deve aprender o que é e como fazer o fluxo de caixa corretamente.

O que é movimento de caixa?

O movimento de caixa é o acompanhamento de todas as entradas e saídas de dinheiro da sua empresa.  É, dessa forma, um controle que compreende o registro da movimentação de valores (diários, semanais, mensais ou anuais) das categorias de despesas e receitas que você tem na sua organização.

Por exemplo:

  • Compra de insumos
  • Pagamento de funcionários
  • Pagamento de impostos
  • Pagamento de aluguel
  • Lucro de vendas.

Além de anotar todo esse fluxo financeiro, é necessário também fazer avaliações periódicas sobre ele.

A comparação ao longo do tempo é fundamental para observar padrões.

Por exemplo: ao verificar os registros por ano, você consegue identificar se existe queda nas vendas em um intervalo específico, a chamada sazonalidade.

Essa clareza de informações permite com que você trace estratégias para elevar as transações comerciais e equilibrar as finanças em períodos mais complicados.

Por isso, é importante definir de quanto em quanto tempo você irá analisar os registros.

O principal objetivo do movimento de caixa, portanto, é fornecer dados sobre o capital da sua empresa e, com isso, facilitar a tomada de decisões. Além, claro, de ser uma ferramenta muito útil para gerar históricos das transações financeiras do seu negócio.

Saiba como gerenciar seu negócio!

Confira as melhores ferramentas para gestão e faça seu negócio decolar Política de Privacidade

Acesse seu E-mail para baixar o conteúdo.

E fluxo de caixa, o que é? Qual a diferença entre os conceitos?

Fluxo de caixa, por sua vez, é o instrumento utilizado para realizar o controle financeiro da empresa.

É diferente do movimento de caixa, que analisa apenas os registros do que entram e saem do caixa do empreendimento no momento da verificação. Assim, o fluxo de caixa é mais completo e verifica outras variáveis.

A diferença principal entre movimento de caixa e fluxo de caixa está no fato de que o segundo, além de verificar as entradas e saídas de dinheiro, ainda considera a chamada previsibilidade das finanças da empresa.

É possível fazer o fluxo de caixa até mesmo em uma planilha, como no Excel ou Google Drive.

Contudo, hoje em dia, já é usual contar com sistemas de gestão financeira, que são ferramentas ideais para essa função.

Os softwares conseguem fazer uma análise aprofundada do caixa da empresa, além de controlar e gerenciar todo o capital que foi movimentado em um determinado período de tempo.

A grande vantagem é que eles ainda fazem projeções de saldos e déficits.

Com isso, você consegue fazer a comparação do desempenho do seu negócio (resultado entre o faturamento e os gastos) em épocas distintas, inclusive com projeção futura.

 Algumas das vantagens de contar com um sistema para fluxo de caixa são:

  • Controle mais eficiente dos custos e investimentos. Com isso, você pode analisar se as despesas são justificadas
  • Auxílio na formulação de relatórios, como a estruturação de previsões para a companhia
  • Monitoramento de recebimentos, tornando possível comparar se o volume de capital obtido está alinhado com as metas estabelecidas
  • Verificação de saldos de forma mais eficiente, já que você pode monitorar as receitas para prevenir a descapitalização do negócio.

SAIBA+AZULIS: Glossário do Empreendedor: tudo o que você precisa saber

Passo a passo para fazer o movimento de caixa

Para ajudar você a fazer o movimento de caixa da sua empresa de forma simples, preparamos um passo a passo.

Veja a seguir!

Passo 1: Faça o levantamento do saldo inicial da empresa

Para começar o movimento de caixa, faça o levantamento do saldo inicial da sua empresa. Ou seja, do valor que você tem disponível em caixa.

Dessa forma, você consegue visualizar qual é a melhor forma de gerir o fluxo.

Passo 2: Classifique suas receitas e despesas

Para evoluir do movimento de caixa para o fluxo de caixa, você deve classificar essas transações, nomeando tudo o que entra e sai de dinheiro.

Para facilitar, você pode criar categorias.

Por exemplo: separar os lançamentos em despesas operacionais (alugueis, material de escritório), despesas com insumos, despesas com impostos, entre outras.

Passo 3: Registre todas as entradas e saídas de caixa do período

Para projetar o fluxo de caixa, considere um período de 12 meses.

Passe a registrar todos os pagamentos recebidos (tanto parcelados quanto à vista), e qualquer outra possível entrada de dinheiro.

Lembre-se de anotar também a data exata em que a transação aconteceu ou está prevista para ser efetivada.

Passo 4: Atualize e corrija os lançamentos

Para uma maior efetividade do seu controle de movimento e fluxo de caixa, acrescente todos os novos lançamentos que podem surgir.

Corrija os valores que, porventura, venham a sofrer algum tipo de alteração, como, por exemplo, o pagamento de funcionário com hora extra.

A diferença entre as entradas e saídas de capital será o saldo do seu caixa. Portanto, o valor que você tem para manter a sua operação funcionando.

Saiba como gerenciar seu negócio!

Confira as melhores ferramentas para gestão e faça seu negócio decolar Política de Privacidade

Acesse seu E-mail para baixar o conteúdo.

Exemplo de movimento de caixa

Até aqui, você já viu que o movimento de caixa não é nenhum bicho de sete cabeças.

Para fazê-lo de forma eficiente, você pode usar uma simples planilha.

Ou, se quiser algo mais elaborado, pode contratar um sistema disponível no mercado. 

De qualquer forma, o importante é manter um registro atualizado, com as entradas e saídas de dinheiro de todas as categorias de receitas e despesas da sua empresa.

Lembre-se também de estabelecer a periodicidade de tempo desse controle (semanal, mensal, diário).

Para ter acesso ao seu saldo de capital, basta fazer uma operação simples de subtração: valores de entrada menos os valores de saída.

Veja um exemplo simples na tabela abaixo:

 

Janeiro

Fevereiro

Março

Saldo Inicial

R$ 10.000

R$ 12.500

R$ 13.000

Total Entradas

RS 5.000

RS 4.000

RS 7.000

Total Saídas

R$ 2.500

R$ 3.500

R$ 3.000

Saldo do mês

R$ 2.500

R$ 2.500

R$ 4.000

Saldo consolidado

R$ 12.500

R$ 13.000

RS 17.000

Para um movimento de caixa ainda mais completo, vale desmembrar as entradas e receitas, criando categorias, como lembramos antes, no passo a passo.

Como você pode perceber, manter esse controle em dia é o primeiro passo para garantir a saúde financeira do seu negócio.

Se bem administrada, essa ferramenta ajudará você a identificar problemas de gestão e tomar as medidas necessárias para evitá-los ou corrigi-los.

Gostou do conteúdo? Então, escreva os seus comentários no campo abaixo, e compartilhe o artigo em suas redes sociais.

Siga acompanhando os conteúdos da Azulis e conheça nossa plataforma para se inspirar e vender mais de forma fácil.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!