UEPS: o que é e como utilizar esse modelo no seu negócio

Por Redação Azulis

Descubra como funciona o UEPS, quando é indicado e o passo a passo para implementar esse método de gestão de estoque.

Quer saber o que é UEPS e como esse modelo de gestão de estoque funciona na prática? Essa é uma boa ideia para melhorar o controle da entrada e da saída de mercadorias da empresa.

Com o UEPS, o preço ao consumidor é baseado no último lote de mercadorias adquiridas pela empresa. Além disso, os itens mais recentes no estoque são aqueles vendidos primeiro.

Mas, antes de optar pelo método, é necessário avaliar se ele é indicado para a sua empresa e como é a implementação. A seguir, tire todas as suas dúvidas sobre o tema.

O que significa a sigla UEPS?

UEPS é a sigla para Último a Entrar, Primeiro a Sair. Esse é um método de gestão de estoque que prioriza, nos processos de venda e formação de preço, os últimos lotes de mercadorias adquiridos pela empresa.

Nesse modelo, o preço de venda de determinado produto é calculado com base no valor do último lote de mercadorias comprado de fornecedores. Ou seja: o valor pago pela empresa pelos itens mais recentes serve como referência para estipular o preço que será cobrado do consumidor.

Os produtos vendidos que saem do estoque para o consumidor são também os mais recentes. E o preço ao consumidor final tende a ser mais alto, o que na prática representa uma supervalorização e um crédito positivo de material.

Apesar disso, como o método reduz o valor tributável depois do exercício de cálculo, o UEPS não pode ser utilizado para fins de tributação pelas empresas. O sistema não é permitido pela Receita Federal devido a essa discrepância nos valores.

Portanto, esse método de gestão só pode ser utilizado para controle interno de estoque. Para objetivos fiscais, a alternativa é o método PEPS: Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair, que tem uma lógica inversa à do UEPS.

Quando utilizar o UEPS?

Conforme você acabou de ver, não dá para usar o UEPS para questões fiscais  — apenas para a gestão interna. Mesmo assim, fica a dúvida: quando utilizar o método?

Primeiro, tenha em mente que o método permite criar estimativas mais próximas à realidade atual que a empresa vivencia. Dito isso, a dica é analisar se o UEPS é adequado para o tipo de produto que a empresa comercializa. 

O UEPS não é indicado, por exemplo, para aquelas empresas que vendem produtos perecíveis, como alimentos, medicamentos e produtos farmacêuticos. Nesse caso, a utilização de lotes mais antigos evita que a data de vencimento das mercadorias expire. Com mercadorias não perecíveis, esse problema não ocorre.

No livro Custos industriais, José Ângelo Ferreira afirma que o emprego do método deve estar condicionado ao tipo de empresa. Na questão contábil, o UEPS não é uma opção. Mas, para fins gerenciais internos, você tem essa alternativa. 

“A escolha deverá ser feita conhecendo-se o tipo de material utilizado, o processo de fabricação, o mercado em que a empresa atua”, diz o autor.

Como usar o UEPS no seu negócio?

A seguir, elencamos as principais dicas que vão ajudar no uso do UEPS na sua empresa para gerenciar o estoque sem erros. Acompanhe os tópicos:

1. Controle a entrada e a saída de mercadorias

Manter um controle rigoroso da entrada e da saída de mercadorias do estoque é essencial para colocar o UEPS em prática. Aqui você precisa dar atenção especial à data de entrada: os lotes mais recentes serão destinados às vendas primeiro e servirão como base para a formação do preço ao consumidor.

Lembre-se de que essas informações devem ser armazenadas de forma segura em planilhas ou sistemas, sem que os dados possam ser corrompidos. De preferência, portanto, utilize o armazenamento em nuvem.

2. Organize o estoque

A segunda dica é simples: organize o estoque para que o processo de retirada dos produtos seja ágil. Nesse caso, os lotes mais recentes devem estar dispostos de maneira que permitam um acesso mais fácil e rápido. Aqui também é importante fazer um inventário.

3. Controle os preços das mercadorias

Outro passo é controlar os preços das mercadorias compradas em cada lote. Nesse caso, você só vai formar o preço final do produto a partir do último lote comprado, conforme vimos anteriormente.

4. Adote um sistema de gestão

Um grande aliado da gestão é o sistema de controle de estoque, que automatiza o controle da circulação de produtos em tempo real e otimiza as rotinas produtivas. Ao utilizar uma plataforma específica para a tarefa, você elimina erros no preenchimento de informações e a necessidade de retrabalho.

Essa dica vale para qualquer método de gestão de estoque  — inclusive se você quiser implementar o UEPS.

5. Fique próximo do estoque mínimo

Por último, a orientação é calcular o estoque mínimo de mercadorias ideal para a sua empresa. Como os itens vendidos primeiro serão os últimos lotes, dessa forma você evita que os lotes mais antigos fiquem encalhados no estoque.

Lembre-se de que mercadoria parada é sinônimo de dinheiro parado. Portanto, o objetivo é manter o estoque sempre em movimento.

E então, ficou claro o conceito de UEPS? Se as dicas deste artigo foram úteis para você, deixe a sua curtida.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!