5 sinais de que você precisa fechar a sua empresa

Por Maria Teresa Lazarini

Por mais que seja uma decisão difícil de tomar, às vezes o empreendedor precisa fechar sua empresa. Veja se esse é o seu caso

como-fechar-empresa

Começar uma empresa já pensando em fechá-la não é um bom sinal. Após criar um negócio, o esperado é lutar para ele conseguir se pagar e, futuramente, fazer sucesso. Afinal, o empreendedor põe muito esforço para largar a empresa pouco tempo depois. Mas, infelizmente, o fechamento de negócios é uma realidade comum no Brasil: segundo o SEBRAE, 1 a cada 4 empresas fecha as portas antes de completar 2 anos no mercado.

Cancelar um CNPJ é uma ação que costuma ser evitada ao máximo pelo empreendedor. No entanto, às vezes a medida é necessária para a saúde financeira (e até mesmo mental) da pessoa física e também da pessoa jurídica. Para entender quais são os sinais de que uma empresa deve fechar, a Azulis conversou com João Luis da Cunha, consultor jurídico do Sebrae, e Daniel Miranda, gerente geral da Azulis.

Confira quais são os 5 sinais principais de que uma empresa deve fechar e veja se a sua se enquadra em algum deles.

1. As reclamações dos clientes são constantes

Existem diversos jeitos de descobrir se um cliente está infeliz com a sua empresa. Seja por CRM, comentários ao vivo ou publicações no Reclame Aqui, o empreendedor consegue perceber quando a relação com os consumidores está desgastada. Se esse for o caso da sua empresa, fique atento. Ter reclamações constantes de clientes não é nada bom: não só eles podem deixar de comprar produtos ou serviços da sua marca, como também podem passar a avaliação negativa adiante, para amigos e conhecidos.

“Cada cliente insatisfeito é um cliente perdido e detrator da sua marca”, comenta Miranda, gerente geral da Azulis. “Se houver padrão nas reclamações, tome uma medida para resolvê-las. Caso não funcione e as reclamações aumentem, analise se faz sentido ou não continuar com o negócio.”

2. A empresa está com problemas financeiros

Em um negócio, ter dívidas é um dos sinais mais aparentes de que a empresa pode (e às vezes precisa) fechar. Se a empresa começa a ter prejuízos, lucros muito baixos ou as contas não são pagas, o empreendedor deve tentar recuperar a situação financeira. Se ele não conseguir, a solução pode ser cortar o mal pela raiz. Afinal, quando a pessoa jurídica acumula dívidas, ela tem grandes chances de ficar com o CNPJ e o próprio CPF sujo, o que que pode gerar profundos problemas no futuro, como não obter um empréstimo, por exemplo.

Por isso, João Luis da Cunha lembra que o momento de uma empresa fechar as portas é aquele em que não é mais possível pagar as contas em dia.

“A partir desse momento, a empresa pode sofrer um processo de falência, que acarretará em um maior prejuízo ao empresário, pois ele não poderá abrir uma nova empresa por um longo período”, alerta Cunha, do Sebrae-SP.

3. A empresa está com queda na produtividade

Assim como os problemas financeiros, a queda na produtividade também é um obstáculo para a manutenção de uma empresa. Se a produtividade em um negócio não cresce mais ou, pior, apenas diminui, este pode ser um sinal de que ele deve fechar. Se não houver um motivo claro para a queda, e uma solução para a retomada na produtividade, o empreendedor deve analisar se, com a menor produtividade, o negócio é economicamente viável e se faz sentido continuar com ele.

4. Você está insatisfeito ou descontente

Um dos principais motivos dos empreendedores em abrir um negócio é o descontentamento com o trabalho antigo. Com a motivação de “ser feliz fazendo o que ama” e “mudar de vida”, muitos empreendedores desejam que a empresa própria traga satisfação na vida profissional. Por isso, se você, dono de um negócio, não está mais gostando da rotina de empreendedor, vale a pena considerar se deseja levá-la para frente.

“Se você não está mais conseguindo curtir nada do dia a dia de seu negócio (ou a parte boa é menor do que a ruim), pense bem se faz sentido continuar com ele”, pondera Miranda. “Afinal, você passa mais de 8 horas no trabalho e ainda deve gastar o tempo fora do negócio pensando nele”.

SAIBA+AZULIS: A felicidade no trabalho pode estar no próprio negócio

5. Existe alta rotatividade de funcionários

Uma boa equipe de funcionários é decisiva para o desempenho da empresa. Afinal, ter um time que entende como a empresa funciona e sabe quais são os princípios dela é essencial para garantir as vendas da marca. Por isso, a rotatividade de funcionários é prejudicial: se os funcionários estiverem sempre mudando, é mais difícil criar uma base sólida de colaboradores e, por causa disso, o dono do negócio precisa gastar mais tempo ensinando sobre a empresa para novos funcionários. Além disso, a alta rotatividade pode indicar que o plano de negócios precisa ser reestruturado: se muitos colaboradores saírem com a justificativa de estarem insatisfeitos, talvez valha a pena repensar a maneira de gerenciar a empresa em um panorama geral.  

SAIBA+AZULIS: 5 dicas para escolher bem seus funcionários

O que devo fazer para fechar minha empresa?

Se você percebeu que, no seu caso, a melhor medida a ser tomada é fechar a empresa, agora é hora de saber como cancelar o CNPJ.

Cancelar o MEI

O regime de Microempreendedor Individual (MEI) é conhecido por ser muito mais simples e menos burocrático que os outros tipos de empresa. Para o cancelamento do MEI não é diferente. Para dar baixa na empresa, o empreendedor somente precisa acessar o Portal do Empreendedor, baixar o registro de cancelamento e, após a baixa, fazer a Declaração Anual antecipada no próprio portal.

SAIBA+AZULIS: Cancelar MEI: como e onde fazer

Cancelar uma ME, EPP ou empresa de médio e grande porte

Se a sua empresa não se enquadra como MEI, o processo para fechá-la é diferente. Como o consultor jurídico do Sebrae-SP João Luis da Cunha informa, empresários de Microempresas (ME) em diante devem procurar o contador do negócio, que é obrigatório para essas empresas, para iniciar o processo de cancelamento.

“O contador irá iniciar um processo de baixa da empresa que consiste em procedimentos junto à JUCESP, à Prefeitura Municipal da sede da empresa e Receita Federal. Este procedimento tem custos e leva um período aproximado de 60 dias”, lembra Cunha, do Sebrae-SP.

SAIBA+AZULIS: CNPJ negativado: é possível conseguir um empréstimo?

Qual é o melhor momento para abrir uma empresa nova?

Um empreendedor fechar as portas de uma empresa não quer dizer que ele não abrirá outras – salvo o caso de falência em que a pessoa fica impedida de abrir outra por um tempo. Se esse não for o caso, o empreendedor deve ter cautela para tomar decisões como abrir um novo negócio. Fechar uma empresa para depois abrir outra com os mesmos problemas é persistir no erro.

Antes de abrir um novo CNPJ, é essencial que o empreendedor estabeleça metas mais claras para a empresa e um plano de negócio sólido.

“Não há um melhor ou pior momento para abrir uma empresa nova”, diz Cunha, do Sebrae-SP. “O momento bom exige que o empreendedor se conscientize de que empreender exige planejamento (um plano de negócios), investimento e foco. Ou seja, escolher algo que ele conheça e que seja lucrativo”, finaliza.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!