Empresas endividadas: erros para evitar

Por Redação Azulis

Dívidas podem prejudicar muito o seu negócio, por isso selecionamos dicas valiosas para ajudar você a não cometer erros e deixar sua empresa no azul.

como-evitar-dividas

Embora existam muitas formas de evitar que se chegue à essa situação, como planejamento e otimização de gastos, a negligência é um dos erros de empresas endividadas que, consequentemente, levará à inviabilização do negócio. 

Então como sabemos que as dívidas podem se tornar um verdadeiro transtorno para um negócio, selecionamos as dicas mais valiosas para evitar esse tipo de erro e deixar a sua empresa sempre no azul! Confira a seguir quais são os erros mais comuns cometidos pelas empresas, dicas de como evitá-los, de como sair das dívidas e, por fim, como as dívidas podem, na prática, prejudicar o seu negócio.

Inadimplência em empresas no Brasil: erros de empresas endividadas

O fato de que há algum tempo o número de empresas inadimplentes vêm aumentando no Brasil deixa claro que esse não é um problema isolado. Logo, se a sua empresa passa por dificuldades, isso não significa que ela não tem potencial para crescer e se estabelecer no mercado, nem que você é necessariamente um mau gestor.

O grande desafio para colocar uma empresa de volta nos eixos e conseguir quitar as dívidas, reside em um aprimoramento inteligente e cuidadoso da gestão de finanças. Traçar estratégias para arrecadar mais, aprimorar a gestão do fluxo de caixa e negociar dívidas são algumas das atividades necessárias para encarar o problema de frente e conseguir deixar a inadimplência no passado.

Naturalmente, para preservar a saúde financeira da empresa e não incorrer em erros e vícios que possam desequilibrar as contas, além das atividades citadas, também é necessário ter cuidado com alguns erros comuns que causam ou agravam uma situação de endividamento. Veja a seguir quais são os principais e como evitá-los!

Mistura entre finanças pessoais e finanças da empresa

Principalmente em pequenas e médias empresas, é comum que finanças pessoais e finanças da empresa se misturem. Nesses casos, por se tratarem de pessoas que dirigem o próprio negócio e que muitas vezes contam com poucos empregados, acredita-se que não há problema em misturar essas finanças.

Contudo, como resultado, essas empresas não conseguem ter uma organização clara das finanças. Assim, a falta de organização acaba inviabilizando a criação de estratégias para crescimento de médio e longo prazo.

Normalmente, o que acontece é vermos os gestores se apropriarem do lucro ao invés de constituir um capital próprio para a empresa.

Não separação entre contas a receber e vendas

Um dos erros mais comuns de pequenas e médias empresas é não discernir no orçamento o que são contas a receber no futuro e o que são as receitas provenientes de vendas já finalizadas. 

Assim, confunde-se no orçamento receitas que estão disponíveis imediatamente e as que somente estarão disponíveis após um certo prazo. Isso pode levar os gestores a contarem com uma receita que ainda não entrou na conta da empresa levando ao desequilíbrio financeiro.

Investimentos, financiamentos e empréstimos pouco confiáveis

O assédio de empresas que oferecem supostas condições imperdíveis, sejam de investimentos, financiamentos ou empréstimos é algo assustador. E, infelizmente, muitos empreendedores inexperientes acabam seduzidos por esse assédio e contraem dívidas das quais será difícil sair.

Por isso, é preciso sempre desconfiar de soluções milagrosas que se apresentam de forma muito simples e direta. Normalmente, tratam-se de caminhos rápidos para um endividamento que pode engessar a gestão financeira por anos a fio.

SAIBA+AZULIS: Empresas que fazem empréstimos: como encontrar e escolher

Como evitar e sair de dívidas: dicas valiosas

Se você tem uma empresa ou conhece algum empreendedor que passa por problemas desse tipo, não se desespere! Por mais que a situação possa ser difícil, algumas práticas podem fazer a diferença para reencontrar o equilíbrio e colocar a empresa nos trilhos.

Faça o controle orçamentário

A falta de organização e controle sobre o orçamento mensal pode rapidamente levar à uma situação em que o fluxo de caixa não sustenta as necessidades da empresa e inviabiliza a quitação de dívidas. Portanto, registrar receitas e despesas de toda natureza é fundamental para manter o orçamento sob controle e planejar o futuro.

A melhor forma de evitar esse tipo de situação é organizar tais informações em uma planilha. Com uma análise cuidadosa fica mais fácil chegar até soluções para poupar mais, cortar gastos e, assim, facilitar, caso necessário, a renegociação de dívidas.

Mantenha o equilíbrio no pagamento das dívidas

Embora quitar as dívidas seja sempre uma prioridade para a saúde financeira, é preciso compreender que isso não deve comprometer as operações da empresa. Por mais que um problema de dívida preocupe e deva ser resolvido rapidamente, comprometer uma grande parte das receitas para esse fim pode, com o tempo, inviabilizar as operações cotidianas, levando a empresa à paralisação.

Especialistas em gestão financeira recomendam a cidadãos comuns que não se usem mais do que 30% das receitas para pagamento de dívidas, e o mesmo se aplica para empresas endividadas. Desse modo, a melhor forma de proceder é fazer o possível para renegociar as dívidas e chegar a parcelas que a sua empresa possa pagar, sem comprometer o orçamento destinado às operações cotidianas.

Ainda dentro da lógica de equilíbrio no pagamento de dívidas, caso exista mais de uma, é fundamental priorizar as de maior valor, pois elas podem levar a empresa mais rapidamente para uma situação insustentável.

Enxugue gastos e use a tecnologia a seu favor

Por fim, toda empresa deve estar buscando constantemente formas de enxugar gastos, assim, tem-se outra forma de buscar o equilíbrio nas contas. Além disso, o uso da tecnologia pode ajudar tanto na redução de custos e gastos de operação, como na gestão eficiente do negócio.

O uso de softwares de gestão e outras tecnologias já é uma realidade acessível para empresas de todo porte. Portanto, busque soluções usando a tecnologia a seu favor!

Como as dívidas podem prejudicar o seu negócio: por que deve-se ter sempre cuidado?

Empreendedores experientes entendem que nem toda dívida é necessariamente ruim. Porém deve-se ter em mente que nunca se deve contrair uma dívida sem um bom motivo. 

As situações mais comuns de endividamento são aquelas em que empresas fazem um empréstimo para realizar investimentos em infraestrutura, maquinário e expansão. Contudo, sem planejamento e um bom estudo de viabilidade, pode-se colocar a empresa em uma situação em que a quitação se torna difícil. Isso faz com que a empresa opere a toque de caixa e reduza suas operações, ao invés de crescer como deveria. 

Empresas endividadas também terão muito mais dificuldades de encontrar investidores e sócios que podem levar o negócio a outros patamares. Por isso, antes de contrair uma dívida, o planejamento deve ser minucioso e implacável.

Se você chegou até aqui já percebeu que os erros de empresas endividadas são mais comuns e fáceis de se cometer do que podemos imaginar. Então para evitar que sua empresa chegue à esse ponto, ou para ajudá-la a alcançar o equilíbrio, compartilhe esse artigo em suas redes sociais e deixe sócios, funcionários e outras empresas à par de como é possível lidar com esse tipo de situação!

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!