Demonstrativo financeiro: como fazer na sua empresa

Por Redação Azulis

Um demonstrativo financeiro é um relatório contábil com dados que qualificam a tomada de decisão em empresas. Veja como fazer.

taxas de empréstimo consignado

Uma empresa pode fazer diferentes tipos de demonstrativo financeiro. Alguns desses documentos são obrigatórios para certos negócios. Já outros, ficam a critério do empreendedor. De qualquer maneira, todos os relatórios contábeis servem ao mesmo propósito: eles traçam importantes informações sobre a saúde da empresa.

Por isso, neste artigo, você vai descobrir como fazer um demonstrativo financeiro e como ele pode te ajudar a ter um olhar mais aguçado sobre as questões contábeis do seu empreendimento.

Siga acompanhando!

O que é o demonstrativo financeiro?

O demonstrativo financeiro pode ser qualquer um dos relatórios contábeis obrigatórios ou não às empresas. Dentre eles, estão o balanço patrimonial e o DRE, sobre os quais vamos falar mais à frente.

Eles funcionam como uma espécie de retrato da situação das Finanças de um empreendimento em determinado período, que pode ser mensal, semestral ou anual, por exemplo.

A gente pode traçar um paralelo com uma consulta médica, a fim de facilitar o entendimento. Um paciente vai a um consultório se queixando de alguma dor no corpo. O médico, então, solicita alguns exames para verificar quais as causas do problema de saúde, certo?

Com os resultados em mãos, o profissional consegue diagnosticar a doença e passar o tratamento adequado. Ou seja, ao analisar os exames, o médico vê a situação do organismo, entende o que há de errado e prescreve a medicação que devolverá a saúde ao paciente.

O mesmo acontece com os relatórios contábeis: eles fazem o levantamento de diversos números financeiros da empresa. Através da sua análise, será possível indicar as melhores ações para que a organização atinja os seus objetivos de negócio.

Para que serve um demonstrativo financeiro

Alguns demonstrativos devem ser feitos obrigatoriamente pelas empresas e entregues ao governo. É o caso, por exemplo, do Demonstrativo do Resultado do Exercício (DRE). O documento precisa ser elaborado anualmente por todos os empreendimentos brasileiros.

Em alguns casos, eles devem ser publicados. Em outros, o DRE pode ficar apenas armazenado na organização. Além disso, em certos tipos, como as sociedades anônimas de capital aberto (S/A) e as sociedades limitadas (LTDA), existem algumas especificidades legais.

Mas, além da obrigatoriedade, os relatórios contábeis têm uma função muito importante: trazer dados para a análise do empreendimento.

Assim, através do estudo do comportamento das finanças da empresa em determinado período de tempo, o empresário tem as informações necessárias para tomar melhores decisões para o futuro do negócio.

SAIBA+AZULIS: Folha de pagamento: tudo o que você precisa saber

3 tipos de demonstrativo financeiro

Que tal conferir quais são e como funcionam os principais demonstrativos financeiros? Então acompanhe!

1. Balanço patrimonial

O balanço patrimonial reúne contas do ativo, passivo e patrimônio líquido (PL) da empresa naquele exato momento de sua elaboração.

O ativo é formado pelos bens e direitos adquiridos pela organização – como a conta Estoque. Já no passivo, encontramos as obrigações e deveres assumidos pelo empreendimento. Nele, ficam as Contas a Pagar, por exemplo.

Por fim, o patrimônio líquido é formado pelo capital social, resultado apurado e outras contas. O ativo deve sempre ser igual à soma do passivo com o PL.

2. DRE – Demonstrativo do Resultado do Exercício

O Demonstrativo do Resultado do Exercício considera uma sequência de contas entre receitas e despesas da empresa, a fim de apurar o resultado do período analisado. Em outras palavras, o DRE soma todas as vendas e custos com impostos, mercadoria e outros da organização para verificar se houve lucro ou prejuízo durante o tempo avaliado.

3. DFC – Demonstrativo do Fluxo de Caixa

Por fim, o DFC faz uma demonstração mais específica de todas as entradas e saídas de dinheiro da organização. A principal função do Demonstrativo do Fluxo de Caixa é entender a capacidade da empresa de gerar caixa, em determinado período de tempo, através de recebíveis.

Como fazer um demonstrativo financeiro

Como a gente viu, existem diferentes tipos de demonstrativo financeiro. Por isso, a primeira etapa é identificar qual relatório você deseja fazer. Em seguida, leve em conta este passo a passo:

  1. Compreenda as regras e leis específicas para o demonstrativo;
  2. Faça a coleta dos dados necessários para o relatório nas contas da empresa;
  3. Aloque cada um dos números para o seu devido lugar;
  4. Faça os cálculos (somatórios e subtrações) e finalize o relatório.

Preencher um relatório contábil exige atenção aos números e à sua classificação. Assim, você deve saber se aquela duplicata a receber de um cliente entra no ativo circulante ou não circulante, por exemplo. Precisa compreender, ainda, a diferença entre custos e despesas variáveis para alocar as contas corretamente no DRE.

Por isso, o mais indicado é que você possa contar com o suporte de um escritório de contabilidade. O contador ou outro profissional contábil poderá realizar toda essa tarefa de maneira mais prática e, com certeza, acertada.

Sua função, como empresário ou analista desses relatórios, deve ser entender o resultado dos demonstrativos. Assim, você deve fazer uma análise sobre os números e definir quais rumos a empresa deve tomar a partir deles.

Gostou do conteúdo? Tem mais informação sobre contabilidade, gestão e finanças para você, no site da Azulis. Acompanhe!

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!