Economia compartilhada: como lucrar nesse cenário

Por Redação Azulis

Conheça a economia compartilhada e saiba como apostar nessa tendência

Economia compartilhada

Mais do que uma tendência sustentável, a economia compartilhada é uma grande oportunidade para lucrar.

Afinal, algumas das empresas mais bem-sucedidas dos nossos tempos nasceram do consumo colaborativo — e estão valendo bilhões hoje em dia.

Com certeza você já utiliza aplicativos e plataformas para trocas de produtos e serviços no seu dia a dia, mas talvez ainda não tenha aplicado o conceito na sua empresa.

Quer saber como usar a economia compartilhada para crescer?

Continue lendo e descubra por que esse é um bom negócio.

O que é a economia compartilhada

A economia compartilhada representa um novo modelo comercial, em que as pessoas alugam, emprestam e/ou compartilham produtos e serviços no esquema peer-to-peer (P2P).

Ao contrário da lógica das grandes corporações, esse conceito se baseia no consumo colaborativo e consciente, que busca aproveitar recursos subutilizados em nome da sustentabilidade.

Basicamente, a ideia é comprar menos e compartilhar mais, ainda que o dinheiro esteja envolvido.

Quase sempre, as trocas dessa nova economia são mediadas por aplicativos digitais, que conectam vendedores e compradores em uma grande comunidade online.

O exemplo mais clássico é a Airbnb —  considerada a maior plataforma de economia compartilhada do mundo —, que resolveu conectar pessoas com espaços ociosos aos viajantes que precisavam de acomodações mais acessíveis.

SAIBA+AZULIS: Vale a pena apostar em anúncios online para o seu negócio?

Da mesma forma, aplicativos como o Uber permitem o compartilhamento de serviços de transporte, revolucionando a forma como as pessoas se deslocam nas cidades.

5 empresas que lucram com a economia compartilhada

Para entender melhor como funciona a economia compartilhada, nada melhor do que recorrer aos exemplos práticos.

Veja como estas empresas estão lucrando com esse conceito.

1. Airbnb

Vamos começar pelo case de sucesso absoluto da Airbnb, que abriu caminho para a expansão da economia compartilhada no mundo todo.

Quando a empresa surgiu, poucas pessoas estariam dispostas a se hospedar na casa de estranhos ou receber viajantes desconhecidos em sua própria casa.

Mas, a Airbnb conseguiu superar esse receio e criar a maior plataforma de hospedagem compartilhada do mundo, com valor de mercado avaliado em US$ 30 bilhões em 2018.

2. Uber

O Uber é outro exemplo de sucesso da economia compartilhada, que começou com a simples ideia de compartilhar viagens rápidas e monetizar as caronas.

Hoje, o app já está presente em 633 cidades globais e a empresa chegou à bolsa de valores avaliada em US$ 82,4 bilhões.

3. BlaBlaCar

Ainda no segmento de transportes, a BlaBlaCar se destaca como plataforma de caronas de longa distância.

Atualmente, mais de 60 milhões de membros compartilham suas viagens pelo aplicativo, que conecta motoristas e passageiros com destinos em comum.

O resultado é um valor de mercado de US$ 1,6 bilhões, conforme avaliado em 2015.

4. Catarse

O Catarse é uma das maiores plataformas de crowdfunding (financiamento coletivo) do Brasil, que adota a economia compartilhada para financiar projetos criativos.

No site, os usuários se unem para contribuir com projetos científicos, artísticos, culturais e sociais, viabilizando suas ideias e causas de forma colaborativa.

Ao todo, R$ 111 milhões já foram movimentados na plataforma, que conta com mais de 600 mil apoiadores.

5. Enjoei

O Enjoei é conhecido com uma das maiores plataformas de consumo colaborativo do Brasil, que atualizou o conceito de brechó online.

O site é focado na compra e venda de roupas, acessórios e cosméticos usados, e vem crescendo 80% ao ano desde seu lançamento, em 2012.

Com mais de 7,5 milhões de usuários cadastrados, é um ótimo exemplo de como o comércio C2C (Consumer to Consumer) pode ser promissor para as empresas.

Como aproveitar a economia compartilhada na sua empresa

Há várias formas de aproveitar a economia compartilhada na sua empresa, seja adquirindo produtos e serviços ou aplicando o conceito no seu negócio.

Confira algumas dicas para entrar nessa onda.

1. Contrate freelancers

A economia compartilhada anda lado a lado com a gig economy, que representa o gigantesco mercado de freelancers e autônomos.

Hoje, você já pode contratar profissionais de todas as especialidades em poucos cliques, graças a plataformas como a 99 Freelas e Workana, que conectam empresas a freelancers online.

Assim, você tem acesso a talentos excepcionais e pode terceirizar tarefas e projetos com total confiança.

SAIBA+AZULIS: Como a gestão de estoque pode ajudar o seu negócio?

2. Aposte no coworking

Já pensou em compartilhar seus espaços ociosos com outras empresas e profissionais?

Muitas empresas estão apostando no coworking — escritórios compartilhados — para tornar o ambiente de trabalho mais flexível e ainda reforçar o networking.

De repente, você pode encontrar parceiros estratégicos para dividir espaços ou alugar aquela sala que não está sendo utilizada para uma startup.

3. Otimize os serviços

A economia compartilhada oferece inúmeras opções para otimizar a prestação de serviços, reduzindo seus custos e aumentando a eficiência.

Um exemplo é a plataforma Loggi, que conecta empresas a motoboys qualificados para entregas expressas.

Além disso, você pode solicitar serviços de reformas, pinturas e assistência técnica diretamente pelo GetNinjas, com orçamentos personalizados de vários profissionais.

4. Aplique o crowdsourcing

O crowdsourcing (contribuição coletiva) é um conceito valioso para o seu negócio, pois permite que você utilize a inteligência coletiva para melhorar seus produtos e serviços.

Você pode, por exemplo, envolver seus clientes na criação de um novo produto ou solicitar ideias para mudar um serviço, ou mesmo fechar parcerias com empresas inovadoras do seu segmento.

O importante é usar a colaboração para inovar e lucrar, unindo pessoas em prol dos negócios criativos.

Entendeu o espírito da economia compartilhada?

Agora é só colocar em prática no seu negócio e aproveitar as soluções da Azulis para agilizar sua gestão.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!