Segmentação geográfica: o que é, para que serve e como fazer

Por Redação Azulis

A segmentação geográfica propõe dividir o mercado para determinar a área de atuação e as ações da empresa junto ao público. Saiba mais.

A segmentação geográfica é uma maneira de delimitar um nicho de mercado menos abrangente. Por consequência, a partir dela, é possível traçar estratégias de vendas e marketing mais focadas em um público específico.

Pode ser utilizada por empresas de diferentes ramos e portes, abrindo oportunidades para qualificar suas ações e tornar mais eficientes as técnicas de atração de clientes.

Para saber mais sobre o que é, como funciona e para que serve a segmentação geográfica, continue a leitura e confira todas as dicas!

O que é segmentação geográfica?

Segmentação geográfica é uma estratégia de dividir o mercado, respeitando as particularidades de cada localidade e as características do seu público.

Essa ramificação pode se dar de forma local, regional, nacional ou internacional. Veja os exemplos:

  • Local: uma rede de lojas que abre em diferentes bairros de uma cidade
  • Regional: uma rede de supermercados que funciona em diversos estados
  • Nacional: uma rede de hotéis presente em diferentes regiões de um país
  • Internacional: franquias de fast-food abertas em diversos países.

SAIBA+AZULIS: Gestão de estoque: softwares, planilhas e como fazer

Para que serve a segmentação geográfica?

Querer abraçar o mundo e atender o maior número de pessoas é um desejo legítimo, mas um tanto utópico. Com tanta concorrência e opções, fica praticamente impossível que um negócio dê conta sozinho de toda uma demanda — nem os grandes monopólios conseguem.

É por isso que a segmentação geográfica é tão importante. Afinal, ela serve para delimitar um nicho de mercado, conforme as particularidades de cada região, e, assim, permitir que a empresa tenha uma visão mais fiel do seu público-alvo.

Com essa informação, ela consegue pesquisar quais são os hábitos, os costumes, os produtos e serviços mais consumidos pelas pessoas e alinhar com as características locais de clima e localização, por exemplo.

Ou seja, o empreendimento consegue ser muito mais certeiro em suas estratégias de marketing, vendas e relacionamento com o cliente, dispondo apenas dos recursos necessários para cada operação.

SAIBA+AZULIS: FIFO: o primeiro que chega é o primeiro que sai

Vantagens da segmentação geográfica

A segmentação geográfica só traz benefícios para um negócio. Separamos algumas das principais vantagens a seguir:

  • Definição de um nicho de mercado e de um público-alvo
  • Produção sob demanda
  • Controle de gastos
  • Marketing mais eficiente
  • Mais proximidade no relacionamento com o cliente
  • Gestão de estoque mais eficaz
  • Produtos e serviços personalizados às necessidades do consumidor
  • Respeito ao clima, à cultura, aos costumes e às características regionais
  • Aumento do lucro.

Como fazer segmentação geográfica?

Com tantos benefícios, a segmentação geográfica deve ser uma opção estratégica para a maioria dos modelos de negócio. Mas como implementá-la?

Se você também tem essa dúvida, fique ligado. Separamos três dicas que vão ajudar a sua empresa nessa tarefa. Confira!

Defina um planejamento estratégico

Qualquer decisão em um negócio, independentemente do porte ou nicho, tem que ser muito bem pensada. Por isso, antes de se decidir pelo local onde a empresa vai se instalar, é importante definir um planejamento estratégico.

Na hora de colocar tudo no papel, devem ser levados em conta os objetivos do negócio, o orçamento disponível, o perfil do consumidor, entre outros pontos importantes.

Por exemplo, se a empresa identificar que boa parte do seu público-alvo está em determinada região, talvez seja uma boa ideia investir em uma sede próxima a esse local específico.

Também é possível estabelecer a segmentação geográfica conforme o produto ou serviço que a empresa oferece. Se o empreendimento é um restaurante que tem como carro-chefe pratos com frutos do mar, pode ser interessante se instalar em uma cidade litorânea.

O mesmo vale para negócios que precisam lidar com a sazonalidade, como a indústria da moda, por exemplo. Marcas especializadas em roupas de inverno combinam mais com regiões serranas, onde as temperaturas costumam ser mais baixas.

Encontre suas personas

Mais do que um público-alvo, um negócio deve se preocupar em encontrar suas personas – personagens fictícios que trazem características reais de consumidores.

Alguns elementos podem ajudar a definir esses perfis de clientes mais personalizados, como hábitos, hobbies, profissão, nível de instrução, tipos de conteúdo que consome e em quais canais.

Com base nesses dados, a empresa consegue determinar alguns padrões de comportamento que permitem o desenvolvimento de estratégias específicas para esses fregueses. Nesse sentido, é importante avaliar alguns elementos, como relevância, rentabilidade, volume de vendas, foco e engajamento.

Implemente ações de marketing eficientes

O marketing é uma ferramenta imprescindível para um negócio dar certo. No entanto, para ser eficiente, ele precisa do máximo de dados possíveis.

Uma campanha publicitária, por exemplo, só vai apresentar os resultados esperados se ela souber a quem está comunicando, a mensagem a ser passada e o canal em que será transmitida. É por isso que a definição de personas na segmentação geográfica é tão importante.

Como visto, a segmentação geográfica é uma estratégia importante para o desenvolvimento de um negócio, e deve ser acompanhada de uma série de outros conhecimentos de gestão.

Para ter segurança na hora de tomar decisões referentes ao seu empreendimento, recorra a quem tem experiência no assunto. Na Azulis, você encontra as melhores soluções personalizadas para a sua empresa. Acesse nosso site, confira os conteúdos exclusivos disponíveis e atinja o tão sonhado desenvolvimento contínuo sustentável.

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!